BNA obtém ajuda junto do Banco de França

Valter Filipe Duarte da Silva, Governador do BNA. (Foto: Francisco Miúdo)

O Banco de França manifestou disponibilidade de continuar a colaborar com o Banco Nacional de Angola (BNA) na área de formação e capitação de quadros para reforçar o sistema de supervisão e regulamentação das actividades bancárias.

Numa nota de imprensa, o BNA anunciou a realização de duas acções de formação ligadas à supervisão, conformidade legal e luta contra o branqueamento de capitais, realizadas em Angola ao longo dos últimos 15 dias e dirigidas por altos funcionários do Banco de França.

A última dessas acções foi realizada na terça e na quarta-feira da semana passada, no Museu da Moeda, um seminário para 30 trabalhadores da área de supervisão e da Unidade de Informação Financeira (UIF) do banco central consagrado aos “instrumentos de avaliação dos bancos no quadro da supervisão baseada no risco.”

As abordagens incidiram sobre as três gerações de instrumentos de supervisão e “compliance”, as normas de Basileia I, II e III, estudos de casos, aplicação no terreno, controlo interno e risco de crédito, em temas ministrados pelo director do Instituto de Formação do Banco de França, Jean Luc Quémard.

A outra acção teve lugar de 17 a 19 de Julho no Instituto de Formação Bancária de Angola (IFBA) e foi dedicada à
“compliance”, branqueamento de capitais e combate ao terrorismo, tendo como prelector o académico Giovanni Saavedra, doutorado em Direito e em Filosofia pela Johann Wolfgang Goethe de Frankfurt am Main (Alemanha), consultor e professor universitário da PUCRS (Brasil).

Padrões internacionais de governação corporativa para o mercado bancário, “compliance” e prevenção ao branqueamento de capitais como pilares das instituições financeiras, normas internacionais de “compliance” no sector bancário, políticas, e controlo em instituições bancárias, comité de ética e canais de denuncia, crimes financeiros (configuração, tipologias e mecanismos de prevenção) e gestão de fraudes bancárias foram os temas ministrados no o encontro. (Jornal de Angola)

DEIXE UMA RESPOSTA