A campanha eleitoral nas redes sociais

(DR)

O MPLA, a UNITA e a CASA-CE são os concorrentes às eleições do próximo dia 23 que aproveitam o campo aberto das redes sociais para difundir a sua mensagem e conquistar o eleitor.

Perto de atingir os primeiros 15, dos 30 dias de campanha oficial, o MPLA capitaliza as suas atenções ao candidato a Presidente da República, João Lourenço. As páginas oficiais do candidato do partido no Facebook, Twitter e Instagram chovem com mensagens de apoio e comentários, até os mais inconvenientes, sobre os desafios que se propõe caso seja eleito.

João Lourenço associa frequentemente a esposa Ana Dias Lourenço e os filhos, embora sem nomes discriminados, nas fotografias que posta na media social, dando ideia de união familiar e de compromisso conjunto. A campanha nas redes sociais revelou que o cidadão João Lourenço tem uma família com cinco filhos adultos, sendo um rapaz.

Os aspirantes a inquilinos do Palácio Presidencial da Cidade Alta, no Bairro Saneamento, em Luanda, esboçam sorrisos anónimos aos “senhorios” (o Povo, sujeitos da soberania) numa única fotografia em que se apresentam numa escadaria do interior da residência familiar. Nos últimos dias, circula também uma fotografia em que Ana Dias
Lourenço aparece a ajeitar a gravata do esposo, preparando-o para o trabalho, de resto a legenda da fotografia – “Trabalho”.

E outra em que aparece trajada de Bessangana ao lado do esposo. João Lourenço já postou fotografias com um caniche, a navegar pela Internet no seu telemóvel, no escritório da casa… Mas são as fotografias das viagens em pré-campanha e em campanha que preenchem mais espaço nas suas páginas.

No Facebook, rede social mais aberta, o candidato do MPLA há meses que não tem mais espaço para amigos. Atingiu o limite de cinco mil amigos em poucos minutos, logo apôs a criação do seu perfil. Só resta seguir o candidato na página oficial patrocinada. A equipa de campanha de João Lourenço teve de criar mais dois domicílios. Um que regista já 166.067 gostos e outro com 25.678 aprovações dos internautas. Só não existe uma nos “posts”. Se uns são do punho do próprio João Lourenço ou se da produção da campanha.

Na quarta-feira, no Facebook, João Lourenço repetiu o “post” que fez, no mesmo dia e hora, no Twitter em que diz que “a corrupção não terá vez na nossa governação. Vamos combater o amiguismo e o suborno”. Noutro domicílio na mesma rede social, João Lourenço retoma uma frase que criou quando esteve no Cuito no primeiro dia do mês em curso: “Embora não seja padre, baptizaria a cidade do Cuito como a cidade do perdão e da tolerância”. Como é expectável nesta rede social, o candidato é também alvo de perfis falsos.

No Facebook, João Lourenço está igualmente nas páginas “MPLA com o povo, rumo à vitória” e “Eu sou João Lourenço”, com actividades bastante intensas.

No Twitter, rede social mais noticiosa e com maior credibilidade – a favorita do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump -, João Lourenço publica as suas acções de campanha no “João Lourenço |MPLA”, com a hashtag @eu sou joão lourenço.

Até quarta-feira, 2 de Agosto, à noite, tinha 1.401 tweets (posts), 1.318 seguidores e ele próprio segue 606 internautas. Nos três últimos tweets que fez às 20h00 de quarta-feira, um dizia que “a corrupção não terá vez em nossa governação. Vamos combater o amiguismo e o suborno”. Os outros dois “posts” orientam as pessoas a descobrir as assembleias de voto, de acordo com as instruções da Comissão Nacional Eleitoral.

O Whatsapp é uma rede social fechada, que obriga a ter o número de telemóvel na agenda do telefone, e, por isso, não é possível avaliar qualquer actividade do candidato. Nesta rede social, existem apenas grupos de apoio à candidatura de João Lourenço. No Instagram, rede social aberta exclusivamente para fotografias, há espaço para seguir o dia-a-dia do candidato. Não há movimento ou conta no Snapchat, Tumblr ou WeChat.

Samakuva anexo ao partido

O candidato da UNITA, Isaías Samakuva, está mais ancorado ao partido na rede social Facebook. Tem domicílio individual, mas é no do partido em que Samakuva aparece mais, e no dos seus cabos eleitorais, deputados do partido e militantes.

Ao contrário de João Lourenço, a família de Samakuva, filhos e esposa, são desconhecidos dos internautas. Raramente o candidato a Presidente da República associa a sua família à campanha. O cidadão é “solteiro maior” na Internet.
No Twitter, o líder da UNITA tem menos actividade que o arqui-rival do MPLA.

Tem apenas quatro tweets; não segue ninguém e é seguido apenas por 181 internautas. O último tweet de Samakuva é um “viva a UNITA”, de 24 de Julho último, no “isaias”, com a hashtag @samakuva. É no Facebook onde Isaías Samakuva tem mais seguidores e perfis. O presidente da UNITA tem quatro perfis aparentemente oficiais e alguns “fakes”. Um com 111 amigos, outro com 15.898, ainda outro com 6.001 gostos. Em relação à sua candidatura a Presidente da República, há um único domicílio com 88 gostos, onde o último post é de 25 de Julho.

Muitos Chivukuvuku

Abel Chivukuvuku, candidato pela CASA-CE, tem, ele só, sete domicílios no Twitter, sendo que para o desafio eleitoral tem dois domicílios.

O “abelchivukuvuku2017”, hashtag @presidente_abel, tem apenas 40 tweets; segue 38 pessoas e é seguido por 128 internautas. O último tweet foi feito no dia 29 de Julho, quando esteve na Catumbela e em Benguela. O outro domicílio com a hashtag @presidenteabel tem 20 tweets, segue 105 pessoas e é seguido por 28 internautas. Há muitos Abel Chivukuvuku no Facebook. Mas com referência a Presidente há um com 27 seguidores em que o último post é de 10 de Junho. Outro com 96 aprovações com o último post a pedir votos foi feito a 30 de Julho, e outro ainda com 67 amigos e seguido por 16.017 pessoas. Neste, que parece o mais oficial de todos, a última actividade tem registo de 30 de Julho e é sobre uma visita que fez ao Sumbe (Cuanza-Sul).

A luta dos últimos

Não existe na rede Twitter um Benedito Daniel, do Partido de Renovação Social (PRS), um Quintino Moreira, da Aliança Patriótica Nacional (APN), nem o sociólogo Lucas Ngonda, da FNLA.
No Facebook há um Lucas Ngonda com 138 aprovações, outro com três amigos e um outro, que parece o oficial, com a última actividade feita no dia 28 de Junho. Os poucos amigos que tem são responsáveis do seu partido e alguns jornalistas.

Benedito Daniel tem um perfil pessoal cuja última actividade está registada a 29 de Setembro do ano passado. Este é o que parece oficial em função dos seguidores, maioritariamente militantes do partido.
O “patriota” (militante da APN) Quintino de Moreira tem perfil pessoal no Facebook. Na página da campanha, Quintino Moreira postou um vídeo que passou no tempo de antena. (Jornal de Angola)

DEIXE UMA RESPOSTA