Várias ruas de Luanda com trânsito condicionado

Coqueiros, Luanda (Foto: Jorge Monteiro/Portal de Angola)

O trânsito automóvel fica condicionado a partir de hoje até sexta-feira em várias ruas e avenidas da cidade de Luanda, na sequência dos trabalhos da segunda fase do plano de revitalização dos eixos viários da capital do país.

Segundo um comunicado da Comissão Administrativa da Cidade de Luanda (CACL) a que o Jornal de Angola teve acesso, a partir das 7h00 de hoje até 17h00 de sexta-feira fica condicionado o trânsito automóvel em toda a extensão da rua Aníbal de Melo (Saneamento), da Ingombota ao Rangel.

Ainda na rua Aníbal de Melo (Saneamento), em toda a sua extensão, são realizadas obras de reabilitação das 20h00 de hoje às 17h00 de sexta-feira com estreitamento ligeiro da via em toda a sua extensão.
O documento da Comissão Administrativa da Cidade de Luanda anuncia ainda trabalhos em toda a extensão da Avenida Lenine (ELM), com estreitamento ligeiro ou corte da via, das 7h00 de hoje às 17h00 de sexta-feira.
No mesmo período fica ainda condicionada ao trânsito a rua Aníbal de Melo (ELM), com estreitamento ligeiro ou corte parcial da via em toda a sua extensão.

De hoje a sexta-feira, das 7h00 às 17h00, ficam ainda condicionados ao trânsito o Largo do Soweto, no distrito urbano do Rangel, ruas da Missão e da Muxima (ELM), na Ingombota, com estreitamento dessas vias ou corte parcial. No mesmo período, a travessa Comandante Che Guevara, também na Ingombota, fica condicionado ao trânsito com corte total da via.

De acordo com o documento da Comissão Administrativa da Cidade de Luanda, fica condicionado ao trânsito a Avenida Doutor António Agostinho Neto, na Ingombota, com corte em toda a extensão da via, das 7h00 de quinta-feira às 17h00 de domingo.

No comunicado, a Comissão Administrativa da Cidade de Luanda esclarece que o programa de intervenção compreende trabalhos de pavimentação, de limpeza de colectores, poda e de iluminação.
Ao público, as autoridades pedem compreensão e desculpas pelos transtornos que isso vai provocar durante o período de realização das obras. (Jornal de Angola)

DEIXE UMA RESPOSTA