União Europeia põe Reino Unido em sentido sobre o “brexit”

(Euronews)

O divórcio com a União Europeia implica para o Reino Unido deixar de ter acesso ao mercado único e à união aduaneira.

O negociador chefe da União Europeia para o “Brexit” foi muito claro esta quinta-feira e deitou por terra as aspirações do governo britânico em deixar de estar sob controlo de Bruxelas, mas ao mesmo tempo manter o acesso ao mercado único.

“Algumas pessoas no Reino Unido defendem ser possível sair do mercado único e manter todos os benefícios — isso não é possível. Ouvi algumas pessoas no Reino Unido argumentar de que se pode deixar o mercado único e levantar uma união alfandegária para conseguir um mercado sem obstáculos — isso não é possível”, reiterou Michel Barnier, acrescentando que chegar a uma situação “sem acordo” será pior para os britânicos.

A primeira ministra britânica, Theresa May espera conseguir manter o acesso livre ao mercado único após o divórcio com a União Europeia e tem promovido essa ideia junto das empresas britânicas.

Diante da Comissão Europeia Económica e Social, Michel Barnier deixou no entanto um aviso bem sério para os empresários de ambos os lados do canal da Mancha: após o final de março de 2019, com o “Brexit”, o Reino Unido passa a ser um “país terceiro” para a União Europeia, todos têm de perceber que deixar a União Europeia tem consequências e os empresários devem preparar-se para elas.

DEIXE UMA RESPOSTA