Trump menos inflexível sobre Acordo de Paris

Donald Trump e Emmanuel Macron em conferência de imprensa a 13 de Julho de 2017, em Paris. (ALAIN JOCARD / AFP)

Ao lado de Emmanuel Macron, em Paris, Donald Trump disse que “algo poderá acontecer a respeito do Acordo de Paris”, dando a entender que a sua postura sobre o acordo poderia mudar. Há seis semanas, Trump tinha anunciado a saída dos Estados Unidos do pacto adoptado em 2015.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deu a entender, esta quinta-feira, em Paris, que poderá voltar atrás na decisão, tomada há seis semanas, de retirar os Estados Unidos do Acordo do Clima. Em conferência de imprensa, ao lado de Emmanuel Macron, Trump afirmou: “Algo poderá acontecer a respeito do Acordo de Paris. Veremos o que vai acontecer.”

Sobre a Síria, Emmanuel Macron ressalvou que a destituição de Bashar Al Assad já não é condição “sine qua non” para uma intervenção francesa.

Os dois presidentes mostraram-se determinados em lutar contra o terrorismo, nomeadamente contra a propaganda jihadista na internet.

O presidente francês disse que vai ter « um jantar de amigos » com Donald Trump, esta noite, na Torre Eiffel, insistindo na « relação forte” com o homólogo norte-americano.

“Posso dizer, sem hesitar, que esta noite vamos ter um jantar de amigos na Torre Eiffel porque somos os representantes de duas nações que são aliadas desde sempre e porque construímos uma relação forte que me é cara e que é importante para os nossos dois países”, afirmou Macron, em conferência de imprensa.

Esta noite, os dois presidentes e as suas esposas vão jantar no restaurante Le Jules Verne, no segundo andar da Torre Eiffel, com uma vista imbatível sobre a capital francesa, a 125 metros do solo.

Trump frisou o facto de a França ser o mais antigo aliado dos Estados Unidos e não descartou que algo poderia vir a ocorrer acerca do Acordo de Paris, um protocolo do qual ele anunciou recentemente a saída do seu país.

O presidente norte-americano chegou esta quinta-feira, de manhã, a Paris, e foi recebido oficialmente pelo homólogo francês a meio da tarde, no Hôtel National des Invalides. Esta sexta-feira, ambos vão assistir ao desfile militar da festa nacional francesa na Avenida dos Campos Elísios. (Rfi)

DEIXE UMA RESPOSTA