Redes Sociais – doçura para alguns e pesadelo para outros

Valdemar Vieira Dias (DR)

Na vertente empresarial as Redes Sociais têm duas características principais: 1.Estreitar a relação com o Cliente, desde que a empresa esteja aberta a este tipo de exposição; 2.Divulgar um serviço ou produto ao consumidor, sendo que em resposta este tem a oportunidade de divulgar uma informação positiva ou negativa na rede.

Nos dias de hoje cada um de nós está conectado a uma rede social, seja no Facebook, Linkedin, WhatsApp, dentre outras. Interagimos com pessoas físicas e “jurídicas” – essencialmente amigos. Postamos conteúdos a nosso respeito como dados pessoais, reportagens fotográficas e videográficas, dados profissionais e muito mais. Muitos de nós, entretanto, passa horas e horas nesta interacção em casa, na rua e até mesmo no local de trabalho, correndo o risco de, até, perder o emprego. Para vermos o quão forte e viciante são estes canais digitais.

Até aí tudo muito bem, porque conseguimos num ápice comunicar de forma confortável, prazerosa, “e muitos mais adjectivos”, com o outro lado.

Todos os conteúdos “bons” que nos dizem respeito são produzidos e publicados por nós, sendo que infelizmente às vezes surgem “maus” conteúdos, estes já produzidos e publicados por terceiros com objectivo de causar danos de muitas ordens a outras pessoas. Danos estes muitas das vezes irreparáveis.

No caso da nossa Angola o que temos visto? Assistimos, infelizmente, a inúmeras situações de uso incorrecto dos canais digitais com cenas muito feias e tristes que só o “Senhor” sabe. Chegam até a dar “raiva”. Se calhar até não pelo conteúdo mas pela pessoa que o publicou ou partilhou.

Penso haver necessidade urgente de implementação (sei que já existe algum trabalho em curso) e aplicação de legislação para crimes cibernéticos. Enfim!

E como é que podemos evitar este risco? Penso que se cada um de nós fizer a sua parte no uso correcto destes canais, estaremos a reduzir bastante este mal que tem causado muitos embaraços aos angolanos de modo particular.

E qual é a nossa parte que me referi acima? Confira abaixo algumas dicas e ponha em prática. Não desista!

  • Evite falar asneiras;
  • Evite difamar pessoas ou compartilhar conteúdos desagradáveis;
  • Não faça comentários ou brincadeiras preconceituosas. Seja de raças, religião, opção sexual, dentre outras;
  • Não use as redes sociais para falar mal da organização onde trabalha ou de seu chefe;
  • Cuidado com suas fotos. Imagens com bebidas alcoólicas, a fumar, dentre outras, podem contar pontos negativos;
  • Cuidado com os erros ortográficos. Não é porque está em uma rede social que pode escrever de qualquer forma;
  • Evite publicar onde está e com quem está. Isso pode ser totalmente inseguro para si se alguém de má índole tirar proveito disso;
  • O Facebook, Linkedin e Twitter são excelentes oportunidades para fazer contactos profissionais. Algumas redes possuem grupos de discussão dos mais variados temas com interacção de pessoas de todo mundo e pode ser muito produtivo. Por isso tire bom proveito destas redes;
  • Seja você mesmo. Não tente parecer o que não é. Cedo ou tarde as pessoas saberão a verdade;
  • Não compartilhe fotos de pessoas e animais mortos, judiados, dentre outros;
  • Tenha um pouco de humor. O equilíbrio é essencial;
  • Não faça excessivas publicações e marcações de pessoas fotografias;
  • Evite ao máximo convidar seus amigos para jogos online;
  • Não faça convites para diversos eventos;
  • Seja sempre atencioso com todas as pessoas. Isso lhe vai ajudar a manter uma boa reputação;
  • Compartilhe sobre um filme que tenha assistido e com ele tenha aprendido algo de bom;
  • Compartilhe um livro que leu e gostou;
  • Postar o que está a comer é bom porque cria interacção com pessoas. Só não exagere publicando todas as refeições que faz.

Em resumo, não precisa abandonar o seu perfil ou deixar de usar as redes sociais, mas tem de usa-las de forma correta para que não seja prejudicado profissionalmente ou na sua vida pessoal. Hoje, estar fora das redes sociais pode significar um “atraso”, porque pode, através delas, tirar bons proveitos e concretizar bons negócios.

 

por Valdemar Vieira Dias

 

DEIXE UMA RESPOSTA