Polícia impede novamente protesto na Guiné-Bissau

Cartaz de convocação do protesto do Movimento de Cidadãos Conscientes e Inconformados com a crise política na Guiné-Bissau (MCCI)

A polícia dispersou activistas do Movimento de Cidadãos Conscientes e Inconformados com a crise política na Guiné-Bissau. Os jovens reuniram-se, depois, na Liga Guineense dos Direitos Humanos, cujo edifício foi cercado pela polícia.

Tal como a 8 de Julho, os activistas do Movimento de Cidadãos Conscientes e Inconformados com a crise política na Guiné-Bissau foram impedidos de manifestar-se. A polícia dispersou o grupo de jovens, justificando que o protesto não tinha sido autorizado pelo Ministério do Interior.

Os activistas deslocaram-se, depois, para a sede da Liga Guineense dos Direitos Humanos, onde se alinharam na varanda com a boca tapada e as mãos atadas.

O presidente da Liga Guineense dos Direitos Humanos, Augusto da Silva, denunciou que a polícia cercou o edifício conhecido como “Casa dos Direitos”. O responsável falou em “atitude muito grave” e disse é “prenúncio de alguma intenção de instalar um clima de terror e medo”. (Rfi)

DEIXE UMA RESPOSTA