Planalto teme nova denúncia de Temer às vésperas da votação na CCJ

Michel Temer: após acusações, governo começa a perder seus aliados (Nacho Doce/Reuters)

O presidente Michel Temer e seus principais ministros e auxiliares avaliam que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pode apresentar uma segunda denúncia contra o peemedebista em meio à discussão da primeira denúncia na Comissão da Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara.

O presidente foi denunciado por Janot por corrupção passiva, mas o Planalto já espera uma segunda, por obstrução de Justiça.

Em conversas reservadas no final de semana, segundo o Blog apurou com interlocutores de Temer, o presidente avalia que Janot pode apresentar a segunda denúncia às vésperas da análise de primeira na CCJ, o que prejudicaria a estratégia do governo.

O Planalto teme que, se isso ocorrer, a segunda denúncia “contamine” o ambiente e “influencie”, nas palavras de um líder governista, os membros da comissão.

A CCJ é a primeira instância da denúncia. Depois, o parecer – pela aceitação ou não – vai a voto em plenário.

Temer quer que a votação em plenário seja feita no dia seguinte à votação na CCJ.

PSDB
Nas conversas com ministros e deputados, Temer também pediu que eles conversem com lideranças tucanas para tentar reverter votos de deputados do PSDB na CCJ.

Pelo menos cinco dos sete parlamentares do PSDB na comissão já avisaram ao Planalto que não votarão a favor de Temer.

O presidente quer ajuda do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, para reverter votos. (G1)

por Andréia Sadi

DEIXE UMA RESPOSTA