Partido do primeiro-ministro japonês sofre derrota histórica

O premier do Japão, Shinzo Abe (AFP / KAZUHIRO NOGI)

O partido conservador do primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, sofreu uma derrota histórica neste domingo numa eleição local em Tóquio, um revés que, segundo a imprensa, pode ter consequências para o governo.

A governadora de Tóquio, Yuriko Koike, de 64 anos, eleita em julho de 2016, conquistou 79 cadeiras graças à coligação formada pelo seu novo partido, “Kokumin first” (os habitantes da capital primeiro), ou seja, mais do que a maioria absoluta das 127 cadeiras das Assembleia de Tóquio.

Sozinho, o partido conquistou 49 cadeiras. O partido de centro Komeito, aliado a nível nacional do Partido Liberal Democrata (PLD) de Abe, uniu-se com a Koike e conseguiu a eleição de 23 representantes.
O PLD, que tinha 57 cadeiras na Assembleia da capital, perdeu mais da metade e agora tem apenas 23.
O primeiro-ministro admitiu a derrota nesta segunda-feira.

A imprensa japonesa é unânime ao afirmar que a eleição em Tóquio terá repercussões para o governo.
O fracasso do PLD, que nunca teve mais que 38 representantes em Tóquio, é atribuído em boa parte aos escândalos que afectam os próximos de Abe, à adopção de leis que enfrentam grande oposição e aos erros dos seus ministros. Também é um importante revés para Abe, que faz todo o possível para permanecer no poder até 2021.

Koike, ex-ministra do Meio Ambiente (2003-2006) e da Defesa (2007), que antes fez carreira como apresentadora de TV, deseja reduzir os gastos prometidos para a preparação dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020. (AFP)

DEIXE UMA RESPOSTA