No Alvorada, líderes tentam conseguir 41 votos para Temer na CCJ

O presidente Michel Temer (dir.), ao cumprimentar o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), durante coquetel em outubro do ano passado (Foto: Reprodução/Twitter do Palácio do Planalto)

Na reunião no Palácio da Alvorada com ministros e líderes aliados, a estratégia fechada na noite deste domingo (9) foi de conseguir 41 votos em favor do presidente Michel Temer na Comissão de Constituição e Justiça entre os 66 deputados do colegiado. Os votos mapeados já incluem as trocas na CCJ realizadas nesses últimos dias.

A avaliação feita no Alvorada é que o relatório do deputado Sérgio Zveiter será pela admissibilidade da denúcia de corrupção passiva contra o presidente Michel Temer. Por isso, para reverter o parecer negativo, a ordem é completar as mudanças necessárias de deputados de partidos aliados. E com isso, ter uma margem de segurança na comissão.

“Temos que passar no primeiro teste, que é a CCJ e depois votar logo em plenário para virar essa página”, disse ao Blog um líder que participou da reunião.

Para tentar garantir o cronograma e concluir a votação na CCJ nesta semana, o governo reforçou a mobilização para ter quorum mínimo de 51 deputados em plenário de de 34 deputados na CCJ nesta segunda-feira para a realização da leitura do parecer de Zveiter.

A expectativa do governo é de concluir a votação do parecer até sexta-feira. Na reunião, Temer confirmou informação antecipada pelo Blog de que pediu ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia, para votar a denúncia em plenário ainda em julho. Havia a preocupação de aliados de Temer de que Maia só colocasse a denúncia para votação em plenário em agosto, com um cenário político mais adverso.

“Maia assumiu o compromisso de votar a denúncia em plenário logo depois de concluída análise na CCJ”, disse um dos participantes da reunião no Alvorada. (G1)

DEIXE UMA RESPOSTA