Multidão vai às ruas em Varsóvia contra reformas do Judiciário

Milhares de poloneses protestam diante do Parlamento, em Varsóvia, neste 16 de julho, contra as reformas no Judiciário (AFP / JANEK SKARZYNSKI)

Milhares de pessoas participaram de dois actos em Varsóvia, neste domingo (16), para denunciar as polémicas reformas do sistema judiciário, orquestradas pelos conservadores no poder.
Segundo a Polícia, cerca de 4.500 pessoas atenderam à convocação do Comité de Defesa da Democracia (KOD). De acordo com a prefeitura, bastião da oposição, foram 10 mil.

Grzegorz Schetyna e Ryszard Petru, dirigentes da Plataforma Cívica (PO, centro) e do Nowoczesna (liberal) – os dois principais partidos da oposição -, fizeram virulentos discursos, comprometendo-se a colaborar estreitamente para se opor à política do Direito e Justiça (PiS), sigla conservadora liderada por Jaroslaw Kaczynski.

Esta semana, as duas câmaras do Parlamento polonês aprovaram duas leis que, segundo a oposição, vão na direcção de um controle do sistema judiciário por parte da maioria conservadora, em detrimento da separação de poderes.
Uma delas trata do status do Conselho Nacional da Magistratura e estipula que o Parlamento, onde o PiS tem maioria, elegerá os seus membros. A outra modifica o regime dos tribunais de Direito comum, cujos presidentes passarão a ser nomeados pelo ministro da Justiça.

À noite, a associação de juízes Iustitia fez o seu próprio acto diante do Tribunal Supremo, durante a qual os manifestantes criaram uma “corrente de luz” com suas velas. A polícia não divulgou estimativa de público. Segundo a prefeitura, havia pelo menos 17 mil pessoas. Muitas haviam participado da concentração na frente do Parlamento.
Outras cidades, como Cracóvia, Szcezecin e Wrclaw, registaram protestos semelhantes. (AFP)

DEIXE UMA RESPOSTA