Mais de 220 presos aguardam vaga em carros da polícia ou delegacias na Região Metropolitana de Porto Alegre

Imagem ilustrativa (DR)

A falta de vagas em penitenciárias da Região Metropolitana de Porto Alegre deixou nesta terça-feira (18) mais de 220 presos provisórios aguardando a transferência em delegacias ou carros da Brigada Militar. Os números foram informados pela Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) e pela Secretaria de Segurança do Rio Grande do Sul.

Eram 203 estavam em delegacias de várias cidades. O município com a pior situação é Canoas, onde há 65 detidos, seguido por Gravataí (com 31) e Novo Hamburgo (19). Porto Alegre tem 10 presos em delegacias de Pronto Atendimento e outras 20 em outros departamentos. Outros 68 presos estavam no Instituto Pio Buck, sendo 45 dentro do albergue e 23 dentro carros da polícia.

Ao todo, 343 presos esperavam vagas em presídios. Somam-se aos presos detidos em carros da polícia ou delegacias e no Pio Buck os 72 recolhidos no Centro de Triagem.
A Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) informou que acompanha o surgimento de novas vagas em cadeias para acomodar os presos.

“A Susepe, por meio do Departamento de Segurança e Execução Penal vai seguir assistindo as necessidades dos eventuais detidos, até que estes sejam encaminhados para estabelecimentos prisionais onde abrirem vagas. O trabalho de gerenciamento e monitoramento de novas vagas no sistema prisional seguirá sendo realizado ostensivamente pela Susepe”, diz nota divulgada pela entidade. (G1)

DEIXE UMA RESPOSTA