Magistrados previnem excesso de prisão preventiva no Peu Peu

LOURENÇO JOSÉ - JUIZ PRESIDENTE DO TRIBUNAL PROVINCIAL DO CUNENE (FOTO: LINO GUIMARAES)

O Tribunal Provincial do Cunene está a promover, quinzenalmente, sessões de julgamento no estabelecimento prisional do Peu Peu, 130 quilómetros de Ondjiva, para prevenir casos de excesso de prisão preventiva naquela unidade carcerária.

A informação foi confirmada hoje, sexta-feira, à Angop pelo juiz presidente do tribunal provincial do Cunene, Lourenço José, à margem de uma reunião ordinária dos órgãos provinciais de administração da Justiça.

A decisão visa imprimir maior dinâmica, sobretudo, aos processos considerados simples e que muitas vezes foram adiados devido a dificuldades na transportação dos detidos da unidade prisional para o tribunal provincial.

A situação obrigou a que o tribunal encontrasse soluções. Daí que os magistrados deslocam-se quinzenalmente à unidade prisional, a fim de realizarem julgamentos.

Deste modo, afirmou Lourenço José, os serviços do tribunal vão até ao cidadão encarcerado no estabelecimento prisional do Peu Peu.

Confirmou que não existe casos de prisão preventiva no Cunene.

A unidade prisional do Peu Peu tem uma população prisional estimada em mil e 300 pessoas. (ANGOP)

DEIXE UMA RESPOSTA