Lunda Sul: Pais aconselhados a desincentivarem aborto

HORTÊNCIA MIGUEL - MÉDICA (FOTO: HÉLDER DIAS)

Os pais e encarregados de educação foram aconselhados hoje, quarta-feira, a desincentivarem as suas filhas a praticarem o aborto, mesmo quando adolescentes, sob pena de não correrem graves riscos, pela médica de clínica geral Hortência Miguel.

Em declarações à imprensa, a propósito das “consequências do aborto”, a responsável acrescentou que a falta de diálogo na família é uma das razões da prática de abortos na adolescência, o que tem causado muitos problemas de saúde a esta franja da sociedade, que desde muito cedo começam a ter problemas de infertilidade.

“O aborto provocado na adolescência tem várias consequências, porque a menina tem os órgãos pouco desenvolvidos e quando interrompe uma gravidez sem cuidados médicos existe o risco de ficar com alguns danos para o resto da vida”, acrescentou.

Apontou como consequências, a laceração do colo uterino, perfuração do útero, esterilidade, perigo de lesão no intestino, trompas e bexiga, gravidez ectópica (fora do local apropriado), entrada da solução salina na corrente sanguínea da mãe, bem como a morte materna, independentemente do método abortivo.

Na mesma ocasião, aconselhou às mulheres adultas, que já têm filhos, a fazerem planeamento familiar para se evitar uma gravidez indesejada, em detrimento de um aborto provocado.

O aborto é a remoção ou expulsão prematura de um embrião ou feto do útero, resultando na sua morte ou sendo por ela causada. (ANGOP)

Sobre gravidez ectópica visite: http://www.mae.blog.br/gravidez-ectopica/

 

DEIXE UMA RESPOSTA