Luanda: Terminou a primeira fase de reabilitação da zona verde do Alvalade

Obras na Zona verde do bairro Alvalade (Arquivo) (FOTO: ANGOP)

A primeira fase de reabilitação da zona verde do Alvalade, distrito da Maianga, terminou, devendo o projecto entrar na sua segunda etapa, disse a vice-presidente da comissão administrativa da cidade de Luanda, Mara Quiosa

Em declarações à Angop, Mara Quiosa, que fazia uma análise das obras em curso no município de Luanda, afirmou que as obras na zona verde do Alvalade, que se encontra encerrada há muito tempo, nunca estiveram paradas, mas continuam em execução.

O projecto de requalificação para a melhoria de imagem e o repovoamento da zona verde do Alvalade prevê a construção de dois parques infantis, igual número de balneários e a manutenção das duas quadras polidesportivas já existentes, para a prática de andebol e basquetebol.

Consta também do projecto, uma iniciativa da Comissão Administrativa de Luanda, a reabilitação dos arruamentos, passeios e jardins, para que a área de lazer volte a servir os habitantes da capital.

Quanto a reparação das avenidas, segundo Mara Quiosa, a rua da Brigada, que se encontrava num estado critico, esta com uma execução física na ordem dos 95 %, devendo ser reaberta nos próximos dias.

“ A rua 12 de Junho, no Sambizanga, é uma via estruturante e já esta também na fase final das obras. Mas para além destas ruas, a baixa de Luanda também encontra-se a beneficiar de obras de reabilitação”, afirmou.

No âmbito do saneamento básico, prosseguiu a responsável, a CACL tem estado a realizar o desassoreamento de algumas vias.

A vice-presidente da CACL afirmou que Luanda continua a ter melhorias no abastecimento de energia eléctrica, não só energia domiciliar, mas também de energia pública, enquanto no âmbito das ligações domiciliar da EPAL, milhares de pessoas começaram a beneficiar de água potável.

Segundo a responsável, beneficiaram das ligações domiciliares da EPAL, os distritos da Maianga com 21 mil ligações e também o distrito da Samba, entre elas algumas áreas que nunca tinha tido água canalizada.

Destacou a inauguração das Bibliotecas Distritais no Ngola Kiluange e no Rangel, a reabilitação de alguns parques e a situação dos resíduos sólidos que estão quase controlados. ” Tivemos épocas de grandes dificuldades em relação a recolha do lixo no município, mas agora não se sente tanto”. (ANGOP)

DEIXE UMA RESPOSTA