João Lourenço considera falso problema futura coabitação com líder do MPLA

CANDIDATO DO MPLA A PRESIDENTE DA REPÚBLICA, JOÃO LOURENÇO, CONCEDE ENTREVISTA AOS JORNALISTAS (FOTO: PEDRO PARENTE)

O candidato do MPLA a Presidente da República, João Lourenço, considerou nesta sexta-feira, em Luanda, “falso problema” a questão da futura coabitação com o actual chefe de estado, José Eduardo dos Santos, caso vença as eleições gerais de Agosto próximo.

João Lourenço anunciou, em conferência de imprensa, a sua intenção de trabalhar em “perfeita harmonia” com o actual líder partidário, que permanecerá como presidente do MPLA até 2018.

Em relação ao sistema político, disse não haver razões para alterar a Constituição da República e discorda da acusação de certos críticos segundo os quais a Lei Magna foi feita a pensar exclusivamente no actual Presidente da República.

Quanto ao programa económico, João Lourenço reiterou a sua estratégia de combate à corrupção, redução das assimetrias regionais e do aumento dos incentivos fiscais para o empresariado privado.

Propôs igualmente a redefinição das empresas públicas que não geram receitas para o Estado, por via de fusão com outras, no sentido de assegurar uma gestão eficiente.

Em relação à política externa, João Lourenço deixou claro que a prioridade de um futuro governo suportado pelo MPLA será enveredar por uma diplomacia económica.

O candidato do MPLA a Presidente da República esteve, de Fevereiro a Julho, envolvido numa campanha de apresentação junto dos militantes, amigos e simpatizantes do seu partido.

As eleições gerais de 23 Agosto, as quartas da história do país, contarão com cinco partidos políticos (MPLA, UNITA, PRS, FNLA e Aliança Patriótica) e uma coligação (CASA-CE). (ANGOP)

DEIXE UMA RESPOSTA