ISCED do Uíge e de Luanda celebram protocolo de cooperação

Licenciados do Isced em dia de consagração (Foto: José Krithinas)

Um protocolo de cooperação nos domínios de investigação, troca de experiência e formação em diversos ramos do saber foi celebrado quinta-feira, na cidade do Uíge, entre os institutos superiores de ciências de educação do Uíge e de Luanda.

O protocolo visa igualmente potenciar e melhorar a qualidade de quadros formados nas duas instituições de ensino superior e engloba ainda a promoção, incentivo e desenvolvimento de assuntos tendentes aos domínios de interesse mútuo, estudos de viabilidade e outros mecanismos que garantam uma consistência aos quadros nacionais.

O director geral do ISCED do Uíge, Domingos Kimpolo Zau, depois de enaltecer a iniciativa do ISCED de Luanda, disse que o projecto vai contribuir na dinamização dos programas científicos concebidos pelo sector, por se tratar de um assunto indispensável.

O académico realçou que o segredo do crescimento científico assenta na amplitude do saber, exploração de experiência de distintas fontes formativas, desde os recursos humanos qualificados e suas respectivas escolas de renome, como é o caso do ISCED de Luanda e outras academias.

“Estas instituições ajudaram, de certa forma, no crescimento e no desenvolvimento ao mesmo tempo, da instituição superior do Uíge na vertente científica”, reconheceu.

Por sua vez, a directora geral do ISCED de Luanda, Esperança Kundima Peterson, disse que o memorando enquadra-se na formação dos cidadãos angolanos comprometidos com o desenvolvimento em todas as vertentes.

Esperança Kundima lembrou que, para que haja um desenvolvimento harmonioso, é preciso o cultivo de uma unidade entre angolanos.

Para o efeito, adiantou que o Uíge e Luanda são tidas como maiores zonas de influência intelectual e doravante vão demonstrar, mais uma vez, em acções, e contribuir nos esforços do Executivo Angolano na resolução dos problemas da população.

A linguista revelou que segundo o protocolo de cooperação, os quadros das duas instituições congéneres vão passar, de forma permanente, a transmitir as suas experiências, por intermédio de palestras, colóquios, conferências e possível participação em projectos de investigação científica.

Já o director geral do Centro de Investigação Científica do ISCED do Uíge, Dissengomoka Sebastião Alexandre, considera ser um projecto inédito e que vai ajudar os cientistas na descoberta de novas possibilidades para o bem-estar dos cidadãos.

O catedrático aponta a necessidade de financiamento como principal fonte para a materialização das acções programadas. (ANGOP)

DEIXE UMA RESPOSTA