Igreja encoraja CNE a manter firme sua liderança

Culto Ecuménico de acção de graça a favor do pleito de 23 de Agosto (FOTO: LINO GUIMARAES)

A igreja angolana encorajou hoje (domingo) a Comissão Nacional Eleitoral a manter firme a sua liderança em todo o processo, sem permitir que haja usurpação das suas competências em benefício de alguma formação política concorrente.

Com essa postura, a igreja entende que estarão criadas condições para continuar a inspirar confiança aos eleitores, quanto a transparência e lisura no processo das eleições de 23 de Agosto.

Numa mensagem transmitida num culto de acção de graças a favor do pleito, realizada na cidadela desportiva, a igreja angolana aconselhou as formações politicas concorrentes a pautar por uma postura patriótica, cívica e de respeito aos eleitores.

A mensagem dos religiosos apela igualmente ao respeito pelos órgãos constituídos, procurando fazer todo o seu trabalho de campanha eleitoral dentro da legalidade e da ética.

Os partidos concorrentes devem cumprir com estes pressupostos sem colocar em causa os interesses maiores da nação entre eles a manutenção da paz e da ordem, segurança das pessoas e convivência saudável entre os angolanos, independentemente das diferenças politicas.

Aconselha aos políticos a renunciar todo o discurso que remete os angolanos ao passado negro, triste e vergonhoso que se viveu até 2002, quando a paz foi alcançada e o processo de reconciliação nacional teve caminho aberto.

Para a Igreja, os políticos devem cingir-se na divulgação dos seus programas de governo, nos quais estão plasmadas as estratégias de cada formação política quanto ao futuro de Angola em caso de ganhar as eleições.

Apela a população a manter uma postura cívica e de cordialidade durante este processo das eleições, contribuindo positivamente para uma sã convivência, evitando e combatendo toda a intolerância política entre os irmãos.

Na mensagem, a igreja enalteceu o papel da Comissão Nacional Eleitoral (CNE) pelo trabalho que tem vindo a desenvolver, visando assegurar que as suas atribuições e competências sejam postos ao serviço do Estado angolano, a fim de permitir que as formações politicas concorrentes o pleito eleitoral sigam os postulados da lei.

A Igreja encoraja o Governo angolano a continuar a assegurar todas as condições legais, logísticas e de segurança que permitam a conclusão com sucesso o processo das quartas eleições de 23 de Agosto.

O culto contou com a presença, além de fiéis de diversas congregações religiosas, do candidato do MPLA a Presidente da República, João Lourenço, representantes das formações políticas concorrentes, auxiliares do Titular do Poder Executivo e deputados à Assembleia Nacional. (ANGOP)

DEIXE UMA RESPOSTA