Futsal juvenil abre sábado em 12 escolas de Luanda

Jogo de futsal (arquivo) (Foto: Tarcísio Vilela)

A primeira edição do projecto de futsal infanto-juvenil denominado “Top Craques da Escola” foi apresentada oficialmente esta terça-feira, em Luanda, pelos representantes da Hattrick, do Ministério da Educação (MED) e do Grupo Castel, estando o arranque marcado para sábado, em 12 instituições de ensino da capital do país.

Desenvolvido pela empresa Hattrick, gerida pelo ex-internacional angolano dos Palancas Negras Carlos Alonso “Kali”, o projecto envolve mais de 1400 crianças com idades compreendidas entre os 12 e 15 anos e tem o apoio da divisão do Desporto Escolar.

Em declarações a imprensa, Kali esclareceu que todas as equipas estão obrigadas a inscrever duas meninas, perfazendo 288 distribuídas por 144 formações. Devem alinhar em todas as partidas, de acordo com as regras.
Das 12 escolas de Luanda, uma é do ensino particular. Carlos Oliveira, do Departamento Nacional de Educação Física e Desporto Escolar, esclareceu que a escolha das instituições de ensino se prende com as condições técnicas que estas possuem para disputar o torneio, aliado aos custos.

“As escolas seleccionadas possuem as melhores condições para fazer disputar este torneio. Por outro lado, gostaríamos de estender o número de participantes, mas os custos não permitem. Quer o Ministério quer o Gabinete Provincial da Educação proporcionaram apenas as estruturas físicas”, disse Carlos Oliveira.
Cada escola vai participar com 12 equipas, que jogam entre si a eliminar, todos os sábados, apurando-se uma para a fase seguinte, de onde vão sair as duas finalistas, para a decisão do título no dia 21 de Outubro, na Academia de Futebol de Angola.

Avaliação de Akwá

Fabrice Alcebíades Maieco “Akwá”, goleador-mor dos Palancas Negras, um dos convidados, considerou o projecto uma mais valia, sobretudo por se tratar de Desporto escolar, que envolve pessoas com sensibilidade para o futebol, como é o caso de Kali.

“De um tempo a esta parte tem se falado muito sobre a aposta na formação, como se fez em tempos idos. Apesar de ser futebol de salão, é importante realçar que muitos craques surgem daí, depois dão o salto para futebol de onze. Há que dar os parabéns à Hattrick, assim como à Top, na qualidade de grande patrocinadora”.

Irene Gonçalves, antiga “capitã” da Selecção Nacional sénior feminina, afirmou que a inclusão de meninas no Top Craques da Escola é um passo importante dentro daquilo que são as suas pretensões, que passam inclusão do género nas equipas de futebol das escolas.

Está prevista uma pausa nas duas últimas semanas de Agosto, devido às eleições gerais do país.
Especialistas no treinamento desportivo, inclusive do desporto de Alto-Rendimento, defendem que o país só vai sair a ganhar se conseguir tirar do papel as políticas traçadas para que a prática do desporto na escola seja uma realidade.

A melhoria dos resultados nas provas internacionais é um dos ganhos apontados pelos estudiosos da ciência do desporto, que aconselham o Estado a passar à prática.

Vivaldo Eduardo, treinador de andebol e jornalista, citou recentemente o exemplo de países europeus, que aumentaram as horas de Educação Física, quando em Angola, após a última reforma educativa, “em muitas escolas públicas os profressores juntam os dois tempos semanais, de 45 minutos, numa única aula, reduzindo a frequência semanal para uma sessão…”

Ao estabelecer uma relação entre a ausência do desporto na escola e o desempenho dos desportistas nacionais, Vivaldo Eduardo foi peremptório: “De nada valerá procurar minuciosamente as causas dos insucessos das nossas selecções nacionais, quando chegamos ao Alto-Rendimento.Para construirmos uma equipa vencedora, temos de posicionar correctamente a pirâmide, com uma base ampla, constituindo prioridade o seu alargamento quantitativo, para se poder atingir a tão ansiada qualidade, no topo.” (TPA)

DEIXE UMA RESPOSTA