Ler Agora:
Falta de matéria-prima e divisas encerram mais de 20 fábricas no Pólo Industrial da Catumbela
Artigo completo 3 minutos de leitura

Falta de matéria-prima e divisas encerram mais de 20 fábricas no Pólo Industrial da Catumbela

Mais de 20 unidades fabris foram encerradas no Pólo de Desenvolvimento Industrial da Catumbela (PDIC) nos últimos 12 meses. O motivo tem a ver com a falta de matéria-prima e divisas, fez saber a Directora, Joana Lorena

O Pólo de Catumbela regista uma queda considerável de produção fruto do encerramento de algumas empresas. Até agora, foram encerradas mais de 20 fábricas.

“Há uma redução significativa de produtividade das empresas instaladas fruto da situação económica e financeira que o país está a atravessar”, explica, acrescentando que houve encerramento de algumas empresas cuja matéria-prima é quase toda de importação, por falta de divisas, escassez de recursos materiais ou por deficiente escoamento dos seus produtos.

A Directora disse igualmente que até ao momento, o pólo tem em funcionamento mais de 40 empresas nos sectores alimentar, construção civil, petrolífero, comércio e serviços. “Temos encerradas mais de 20 fábricas”, informou.

De acordo com Joana Lorena, a queixa principal dos empresários prende-se com a falta de algumas infra-estruturas e de divisas no mercado, cujo acesso junto da banca comercial continua limitado.

Refere que o Pólo, enquanto instituição, é parte de um todo que não está à margem da crise financeira que o país vive, avançando que esforços têm sido feitos na melhoria das condições dos empresários. Justifica a sua posição dizendo que cerca de 50% das empresas instaladas tem água canalizada.

Em relação à energia eléctrica, na Fase I que está em curso, algumas empresas são fornecidas pela Linha Catumbela – Lobito 2 da Sub – Estação da Catumbela. “De momento está em curso a construção de uma sub – estação na Fase II com capacidade de 50 MVA, que abastecerá todas empresas aí instaladas e não só”, fez saber. Quanto aos acessos, existem vias abertas e terraplanadas nas duas fases que periodicamente são melhoradas tendo em conta as chuvas que se abatem na região.

Mais de 70 hectares disponíveis

A entrada de novas unidades no Pólo da Catumbela depende da capacidade financeira e do projecto de viabilidade técnica do projecto apresentado pelas empresas. O Pólo tem de momento mais de 70 hectares disponíveis, fruto das rescisões feitas com algumas empresas por incumprimento dos contratos celebrados. “Continuamos a receber novas solicitações de empresas interessadas em se instalarem”, indicou a responsável.

“Depois de redefinida a nova planta do Pólo, constatamos que estamos com uma área aproximadamente de 1000 hectares com algumas zonas montanhosas não recomendavéis para implantação de indústrias. Em termos de disponibilidade temos 70 hectares”, revelou.

Dar seguimento e conclusão das infraestruturas básicas para o bom funcionamento e manutenção das empresas instaladas e a se instalarem é o principal desafio da actual gestão do Pólo de Desenvolvimento Industrial da Catumbela (PDIC). (O País)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.
Translate »