EPAL anuncia produzir cerca de 800 milhões de litros de água para Luanda

Presidente do Conselho de Administração da EPAL, Leonildo Ceita (Foto: Gaspar dos Santos/Arquivo)

Cerca de 800 milhões de litros de água vão ser produzidos, em breve, na capital do país, ou seja o dobro do que acontece actualmente (cerca de 350), o que é considerado um aumento substancial, anunciou hoje, terça-feira, em Luanda, o presidente do Conselho de Administração da Empresa Pública de Águas de Luanda (EPAL), Leonildo Ceita .

O responsável anunciou o facto à imprensa no final de um Workshop sobre a Conferência Internacional WATEC 2017, decorrido sob o tema “Tecnologia de Água e Controlo Ambiental”, promovido pela Embaixada de Israel em Angola, em parceria com a EPAL.

Explicou também que em 2020 e 2021, vai passar a ter-se quase dois milhões de metros cúbicos de água, um valor bastante grande e que já merece, a partir deste momento, uma maior atenção no que diz respeito as águas residuais.

O encontro tem como objectivo promover a exposição internacional de Águas, que terá lugar de 12 a 14 de Setembro deste ano, em Israel.

Frisou que o director da empresa de Água de Jerusalém , Zohar Yinon, uma pessoa com bastante experiência , trouxe ao país uma mais-valia, porque está a fazer uma apresentação de novas tecnologias sobretudo na tecnologia de reparação de furos de tubagem sem escavações.

Acrescentou que em Angola há uma semelhança, mas exige pequenas escavações, que são raquetes para perfurar debaixo da terra.

O PCA frisou teve a oportunidade de saber o que é feito no Israel, no que diz respeito a água e tratamento de água potável e residual e teve que fazer um investimento sério, mas depois no passado fez o inverso acelerar com as águas residuais.

Por outro lado , sugeriu que para que as empresas provinciais se dediquem a água potável e residual, é necessário que participem nesta exposição “WATEC Israel 2017”, porque terão a oportunidade de conhecer novas tecnologias, interagirem com especialistas e, quiçá, encontrar pontos em comum e ver qual a possibilidade de implementar no país

Avançou também que a EPAL vai participar no evento. (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA