Eleições/2017: Educação e saúde nas prioridades do MPLA

Candidato do MPLA a Presidente da República, João Lourenço (Foto: Pedro Parente)

O Executivo que sair das eleições gerais de 23 de Agosto vai trabalhar na dignificação das carreiras dos professores e técnicos de saúde, para que correspondam com as exigências do desenvolvimento económico e social do país, prometeu hoje, em Luanda, o cabeça-de-lista do partido MPLA.

A informação foi prestada nesta quinta-feira, em Luanda, pelo candidato do MPLA a Presidente da República, João Lourenço, quando falava num encontro com os profissionais desses sectores.

Informou que o Executivo sustentado pelo MPLA tem investido em infra-estruturas da educação e saúde, construindo escolas, institutos médios e hospitais.

Na sua óptica, o país precisa de quadros bem formados e saudáveis, com competências académicas, técnico-profissionais e culturais à altura das necessidades do desenvolvimento económico e social que se pretende.

Considera, também, fundamental que se repense num modelo educativo e pedagógico que satisfaça os interesses e as metas do país.

Na sua intervenção, reconheceu o empenho e a entrega dos professores do ensino geral, bem como dos técnicos de saúde pelos serviços prestados às comunidades.

O MPLA venceu as três eleições já realizadas no país. Nas últimas, em 2012, obteve, na província de Luanda, 143.691 votos e elegeu cinco deputados à Assembleia Nacional.

Actual partido no poder em Angola, o MPLA nasceu da determinação de um grupo de patriotas, que, no interior de Angola, foram apelando para a necessidade da constituição de várias organizações independentes entre si, com o propósito de iludirem a vigilância das forças coloniais portuguesas e resistirem ao colonialismo.

Assim, em 10 de Dezembro de 1956, é fundado o MPLA, que, em 11 de Novembro de 1975, viria a proclamar a independência de Angola, na voz do seu então Presidente, António Agostinho Neto, que se tornaria no primeiro Presidente da Angola. (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA