Desporto adaptado: “Patrocínio da BP é mais-valia” – afiirma SG do CPA

António da Luz regozijado com patrocínio da petrolífera BP (Foto: Cortesia de Marcelino Camões)

O acordo de patrocínio para cinco atletas existente com a BP-Angola constitui mais-valia, sendo também uma forma de os visados melhorarem a qualidade de vida e as performances desportivas, afirmou sexta-feira, em Luanda, o secretário-geral do Comité Paralímpico Angolano (CPA).

Em declarações à imprensa, após a assinatura da extensão do acordo, António da Luz disse ser importante tirar maior proveito da “boa vontade da BP”, fazendo com que os atletas cumpram com o estabelecido em termos publicitários.

“Enquanto estiverem com a camisola da BP, os atletas em causa são representantes da marca em termos de imagem”, frisou o antigo treinador de basquetebol e actual comentarista desportivo.

Explicou que Angola é o único país cujo atletismo adaptado tem cinco atletas patrocinados pela instituição, contra quatro ou três dos restantes, constituindo-se isto motivo de regozijo.

Mostrou-se esperançado de que o acordo iniciado em 2011 se estenda até 2024, socorrendo-se ao histórico para explicar que inicialmente a parceiria tinha como objectivo os Jogos Paralímpicos de Londres2012, mas que já se estendeu até Tóquio2020.

Até a próxima edição dos Jogos Paralímpicos,Tóquio2020, beneficiam do patrocínio os atletas deficientes visuais José Chamoleia (província do Huambo), Befília Mbuyo (Bié), Esperança Gicasso (Luanda) e José Sayovo (Bié), este na condição de embaixador honorário. Regina Dumbo (Huambo) assinará o contrato posteriormente por questões técnicas. (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA