Cuanza Norte: Praga desconhecida afecta culturas de mandioca em Camame

CUANZA NORTE: PRAGA DEVASTA CULTURA DA MANDIOCA (FOTO: DINIZ SIMÃO)

Uma praga desconhecida está a afectar a plantação de mandioca na comuna de Camame, município do Ngonguembo, província do Cuanza Norte, uma situação que deixa preocupada a população local porque o produto constitui a principal base da dieta alimentar na região.

O facto foi declarado na sexta-feira à imprensa na localidade, pelo administrador comunal de Camame, Luís Sebastião Kutaba, adiantando que a praga que assola a região, há dois anos, está a provocar o apodrecimento do tubérculo da mandioca, antes de completar o período de maturação.

Sem especificar a área devastada, o responsável salientou que, devido a situação, já se começa a notar alguma escassez de alimentos derivados da mandioca, como o bombó, farinha de mandioca e a própria mandioca, muito utilizada no pequeno-almoço pelas populações locais.

Luís Kutaba referiu que, por este facto, as autoridades da comuna estão a evidenciar esforços no sentido de substituir a variedade de plantas de mandioca afectadas pela praga por outras da mesma espécie e mais resistentes.

Relactivamente aos outros sectores, o responsável frisou que a comuna conta com um sistema de distribuição de água potável que funciona 24/24 horas e que fornece ininterruptamente este líquido as populações, além de dois postos e um centro de saúde, assegurados por três técnicos.

No sector da educação, adiantou, a comuna conta no presente ano lectivo com 400 alunos matriculados da iniciação a 9ª classe, distribuídos em oito escolas e dirigidas por 17 professores.

Considerou que a comuna necessita de mais três técnicos de saúde e 10 professores, assim como a reabilitação de cinco escolas de construção precária.

A comuna de Camame é habitada por dois mil 19 populares, maioritariamente camponeses, que se dedicam a cultura de mandioca, milho, batata-doce, banana, citrinos e palmares. (ANGOP)

DEIXE UMA RESPOSTA