Colectivo de Artes Ombaka leva peça “Mulher em 3D” a Luanda

ESTEVES QUINA, PORTA-VOZ DO COLECTIVO DE ARTES OMBAKA (FOTO: ANTÓNIO LOURENÇO)

O colectivo de Artes Ombaka estreia hoje, sexta-feira, em Luanda, a peça “Mulher em 3D”, um retrato de diferentes facetas do fascinante universo feminino.

Falando à Angop antes da partida à capital do país (Luanda), o porta-voz do grupo, Esteves Domingos Quina, avançou que estão agendados dois espectáculos na sexta-feira (7) e domingo (9), no auditório Njinga Mbandi, e no Festival Internacional de Teatro do Cazenga.

Referiu que a peça visa despertar a sociedade para a necessidade de maior valorização da mulher, considerando que a obra é, no fundo, uma homenagem a todas as mulheres.

A peça representada por cinco actores, como explica o responsável, é encenada por Sincero Muntu e consubstancia-se num olhar atento de um fotógrafo a beleza feminina, através de uma objectiva.

A peça “Mulher em 3D” estreou-se dia 1 de Julho, no Cine Monumental Teatro.

O colectivo de Artes Ombaka foi formado em 2005, em Benguela, e tem prémios conquistados em festivais de teatro, além de participação nos festivais do Cazenga, da Paz (Luanda), Mostra de Esquete Teatral no (Brasil), no Internacional de Teatro do Inverno de Moçambique, em 2014, Voz África e Efetikilo, estes últimos da província do Huambo.

Detentor do 1º Prémio Provincial de Cultura e Artes de Benguela, na disciplina de Teatro, em 2014, o Colectivo de Artes Ombaka soma no seu repertório mais de 20 peças apresentadas, entre as quais “A Lei”, “O Héroi”, “Sonhei com Manguxi”, “O Jovem Frustrado”, “O Técnico”, “Laura”, “Um Raio de Sol”, “Kapulungo” e “Faceburla”. (ANGOP)

DEIXE UMA RESPOSTA