China financia construção de novo quartel das Forças Armadas de Moçambique em Maputo

(DR)

As autoridades chinesas anunciaram a disponibilização de um financiamento adicional ao Ministério da Defesa Nacional, orçado em 60 milhões de Yuan, cerca de 18 milhões de dólares para a construção de infra-estruturas no país.

O acordo neste sentido foi assinado hoje, durante um encontro entre a delegação ministerial da defesa de Moçambique e da China.

De acordo com o Ministro da Defesa Nacional (MDN), Atanásio M’tumuke, o valor vai financiar a construção de um quartel das FADM, na província de Maputo.

M’tumuke divulgou o conteúdo do novo financiamento chinês, em declarações à imprensa, no final de uma audiência que o seu homólogo chinês teve com o Presidente da República, Filipe Nyusi.

Tratou-se de um encontro de cortesia que, segundo M’tumuke, serviu para passar em revista o estágio da cooperação entre Moçambique e a China, nos diversos sectores.

Desenvolvimento depende da paz

A China diz que o ambiente de estabilidade e paz que se vive em Moçambique é factor preponderante para o desenvolvimento do país.

Num encontro havido, hoje, entre o ministro da Defesa, Atanásio M´tumuke, e o seu homólogo da China, Chang Wan Quan, o governante chinês abordou a cooperação na Defesa, tendo garantido que a implementação dos programas de formação de quadros para as Forças Armadas de Defesa de Moçambique (FADM), bem como o intercâmbio entre as instituições de ensino superior militar vão continuar, com o apoio da China.

O encontro entre os dois governantes decorreu à porta-fechada e não houve declarações à imprensa. Entretanto, o Ministério da Defesa emitiu um comunicado de imprensa no qual divulga o teor das conversações entre os dirigentes da Defesa de Moçambique e China.

Chang Wanquan, ministro chinês, que está de visita de três dias a Moçambique (desde segunda-feira), esclareceu que a sua estada no país resulta dos consensos alcançados entre o Presidente da República, Filipe Nyusi, e o estadista Chinês, Xi Jinping, no âmbito da visita de Filipe Nyusi a República Popular da China, em Maio de 2017 corrente.

Já o ministro da Defesa, Atanásio M´tumuke, destacou a necessidade de reforçar ainda mais as relações entre os dois países.

Além da área da formação das FADM, M´tumuke diz que os dois Estados devem cooperar também nas infra-estruturas, logística e saúde militar, com vista a tornar as Forças Armadas de Defesa de Moçambique mais operativas. (O País)

DEIXE UMA RESPOSTA