Benguela pode ser um dos principais motores da economia – João Lourenço

BENGUELA: CANDIDATO DO MPLA A PRESIDENTE DA REPÚBLICA, JOÃO LOURENÇO, NO ACTO DE MASSAS (FOTO: ROSÁRIO MIRANDA)

O potencial natural e humano da província de Benguela para tornar-se num dos principais motores da economia nacional continuará a merecer a atenção do MPLA, de acordo com o seu candidato a Presidente da República, João Lourenço, para as eleições gerais de 23 de Agosto.

João Lourenço fez menção a este facto quando intervinha no discurso num acto de massas na cidade das “Acácias Rubras” (Benguela), naquela que foi a última etapa no quadro da pré-campanha eleitoral.

Entre estas potencialidades, destacou a agricultura, pesca, indústria, turismo como caminhos que poderiam ajudar no desenvolvimento da economia do país.

Frisou que um dos grandes objectivos do MPLA é o de levar Benguela aos tempos áureos do passado, fazendo desta “a fábrica de Angola”, porque aqui já se produziu de tudo e esta região encontra-se entre os maiores centros logísticos de distribuição do país.

“Ela pode ser uma das províncias que mais contribua para o produto interno bruto de Angola, uma vez que possui todas as estas valências, inclusive o homem que é trabalhador”, disse.

Na presença de milhares de militantes, provenientes das distintas regiões de Benguela, João Lourenço acrescentou que “se conseguirmos desenvolver o problema do aumento do turismo, agro-negócios e indústria vamos resolver o problema da falta de emprego”.

Na visão do político, só é possível desenvolver-se estes ramos se tivermos gente a trabalhar nestes domínios.

Ressaltou que “com uma economia forte resolvemos o problema do emprego e, com isto resolvido, é mais fácil afastar os jovens de problemas como o consumo excessivo de álcool e das drogas e a criminalidade, porque o desemprego pode não ser a causa, mas ajuda a faze-los cair na tentação”.

Argumentou que o desemprego é uma grande preocupação e o Governo que sair das eleições vai dedicar particular atenção à necessidade de criar cada vez mais postos de trabalha, o que se só é possível capacitando o empresariado nacional.

Disse anda que o desemprego não irá acabar, mas a luta é a de colocá-lo ao mais baixo possível.

“Se queremos garantir emprego a tarefa principal é a de melhorar a organização da economia”, salientou.

Na visão do candidato do MPLA, a economia angolana deve centra-se em outros domínios, e não só no sector petrolífero, dai o facto de ter ressaltado a importância da diversificação da economia.

Em relação ao acto, disse ainda que o MPLA encerra em Benguela a sua pré-campanha por ser uma praça eleitoral muito importante para o partido e onde este quer ver eleito cinco deputados.

João Lourenço fez menção ao facto de, este sábado, ter sido eleita a cidade de Mbanza Congo (Zaire) como Património Mundial da Humanidade pela Unesco, que contribui para a valorização da cultura nacional. (ANGOP)

DEIXE UMA RESPOSTA