Benguela: Aumento da capacidade do Porto do Lobito mereceu destaque

Augusto Tomas - Ministro dos Transportes (Arquivo) (Foto: Francisco Miudo)

O aumento da capacidade de atracação de navios, de estiva e de armazenamento de carga de natureza diversa constituíram-se os aspectos mais relevantes do investimento feito no Porto Comercial do Lobito, que mereceram destaque do ministro dos Transportes Augusto da Silva Tomás, aquando da sua visita àquela unidade portuária, nesta segunda-feira.

O ministro Augusto Tomás fez essas notas de realce na reunião de balanço da década das empresas públicas de transportes. Na ocasião, realçou os investimentos efectuados no Porto Seco, Terminal de Contentores, a reabilitação e ampliação do cais de atracação, a aquisição de novos equipamentos e materiais modernos para os terminais, bem como o treinamento dos recursos humanos.

Avançou que, além desses investimentos, o Porto do Lobito vai beneficiar-se ainda mais de outros num futuro próximo, nomeadamente a construção do Terminal Marítimo e Terrestre, que possibilitará a ligação por cabotagem ao Norte e ao Sul do país. Isto vai facilitar o transportar de passageiros e carga de cabotagem.

“Os investimentos vão trazer para Benguela algo muito precioso como o emprego e, especialmente no contexto que vivemos de redução do emprego na indústria petrolífera, a criação de emprego através de outros sectores da actividade económica que é muito importante. É isso que queremos proporcionar a esta região”, disse.

Informou que os investimentos em transportes e logística não se limitam ao Porto do Lobito, mas no conjunto de projectos estruturantes do Corredor do Lobito, onde se incluem o Caminho-de-Ferro-de-Benguela e o Aeroporto Internacional da Catumbela, que trazem vantagens competitivas para as províncias que são rasgadas pelo Caminho-ferro de Benguela, e, globalmente para, o nosso país.

Explicou que em relação ao Porto Amboim senão foi possível até agora ter certeza que num futuro breve será construído o porto de águas profundas de Porto Amboím, que spoderá ser uma infra-estrutura determinante para alavancar a economia da província do Cuanza Sul e do seu interlande portuário.

Do porto que se pretende construir na localidade de Porto Amboim, segundo Augusto Tomás, virão enormes benefícios de natureza social, como mais emprego, rendimentos e melhores condições de vida.

Dessa forma, sublinhou, o sector vai contribuir para a transformação do modelo económico de Angola, para que a diversificação da economia, crescimento económico robusto e emprego sejam não só desejos proclamados, mas realidades efectivas,

Augusto Tomás considerou o balanço da última década entre os Portos do Lobito-EP e o porto do Porto Amboim-EP positivo, o que faz encarar o futuro com optimismo, não obstante haver muito ainda há que se fazer.

Por sua vez, o vice-governador de Benguela para a esfera económica e produtiva, Gika Morais, disse que o Porto Comercial do Lobito tem dado um grande contributo no crescimento e desenvolvimento da província de Benguela, que possui uma população estimada em dois milhões e 36 mil e 662 habitantes, uma área de 39 mil e 826 quilómetros quadrados, representando cerca de 10 porcento do território de Angola.

A província possui 10 municípios, quatro dos quais do Litoral e seis do interior. (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA