Autarca vinculado ao narcotráfico nas Filipinas morre em operação de policia

Duterte (Afp)

Um autarca filipino acusado pelo presidente Rodrigo Duterte de estar envolvido no tráfico de drogas morreu neste domingo durante uma operação das forças de segurança, que mataram outras 14 pessoas, segundo a polícia.

Duterte escolheu a dedo representantes entre as autoridades locais, policiais e funcionários da Justiça para auxiliarem na “guerra contra as drogas”, lançada quando chegou ao poder em 2016, para combater o aumento sem precedentes do nível de violência registado nesse país do sudeste asiático.

Entre as pessoas escolhidas por Duterte estava Reynaldo Parojinog, autarca da cidade portuária de Ozamiz, morto no domingo pela polícia durante operação em realizada em seu domicílio.

“A equipe de segurança do autarca abriu fogo e nossos policias responderam”, declarou à AFP um porta-voz da polícia regional, Lemuel Gonda.

Em sua casa foram encontradas granadas, munição e drogas, indicou o chefe da polícia da província, Jaysen De Guzman.

A polícia começou a vigiar Parojinog após declarações feitas por Duterte que apontavam o autarca como alguém envolvido com o narcotráfico.

Outros dois autarcas cujos nomes constavam na lista do mandatário filipino foram mortos no ano passado.

Desde a sua entrada ao poder em 30 de Junho de 2016, Duterte prometeu matar milhares de narcotraficantes buscando evitar que as Filipinas se tornem um narco-Estado. Até o momento, a polícia já matou 3.200 pessoas durante operações de combate ao comércio ilícito de entorpecentes.

DEIXE UMA RESPOSTA