Arnold Schwarzenegger defende meio ambiente: “Donald Trump vive na Idade da Pedra”

Schwarzenegger defendeu os seus Hummers, "que funcionam a hidrogénio ou com biodiesel, que é menos mau" (DR)

“Há duas razões [para ter este aspecto físico]: faço desporto todos os dias e adoro a minha vida. Sou uma pessoa afortunada. Um mês faço um filme, no seguinte viajo para a Austrália, para a China ou para a África do Sul para promover a feira do culturismo Arnold Classics. Outro dia vou dar um discurso a uma universidade e saio como doutor honoris causa. Já tenho oito! E a seguir, fecho um negócio imobiliário que me dá três milhões de dólares. Ou conduzo a minha Harley Davidson às cinco da manhã por Santa Bárbara só pelo prazer de ir ali tomar o pequeno-almoço. Como posso não estar contente com a vida?”. Eis o retrato de uma pessoa de 70 anos feliz com a vida. Eis o retrato atual de Arnold Schwarzenegger, o eterno Terminator, na sua versão mais humana.

O antigo governador da Califórnia entre 2003 e 2011 concedeu uma entrevista ao El Mundo, tendo como contexto a produção e narração do documentário ‘Maravilhas do Oceano’, dirigido pelo filho do célebre oceanógrafo Jacques Costeau, Michel. Uma oportunidade para deixar também uma farpa a Donald Trump.

“O activismo do meio ambiente tem o mau hábito de apontar o dedo à procura de culpados. Essa é a diferença em relação ao ‘Maravilhas do Oceano’, que celebra a natureza e tudo o que temos para proteger. Trump? Não quero centrar-me numa pessoa só. Desejo-lhe boa sorte como presidente, porque se fizer um bom trabalho à frente do governo, ganharemos todos. Em relação ao que diz das alterações climáticas, Trump está desinformado. Vive na Idade da Pedra. Mas com o tempo, esperamos fazer compreender que os activistas do meio ambiente estão no bom caminho. A nossa obrigação é a de entregar o Mundo em boas condições às futuras gerações”, comentou, reagindo também a uma provocação por causa dos seus Hummers.

“Os meus Hummers funcionam a hidrogénio, que não é contaminante, ou com biodiesel, que é mas menos. O meu Mercedes-Benz Classe G acaba de ser transformado num veículo elétrico pela empresa Kreisel. E o outro Hummer será convertido no primeiro com motor eléctrico. Como a tecnologia está do nosso lado, não necessito de privar-me do prazer de conduzir”, argumentou.

Recordando que “há 40 anos muitos eram contra quem praticava desporto e hoje não há um hotel que não disponha de um ginásio”, Schwarzenegger fez uma viagem ao passado e recordou a discussão que teve com James Cameron sobre uma frase que ainda hoje é conhecida. “Recordo-me de discutir com ele durante horas. No início queria dizer ‘I will be back’, sem abreviaturas, mas não me deixou. Obviamente que tinha razão, acabou por converter-se numa das frases mais repetidas da história do cinema. Três ou quatro frases minhas em filmes converteram-se nas mais famosas, mas acredito que é porque pronuncio mal e as pessoas riem-se”, contou. (Observador)

DEIXE UMA RESPOSTA