Arcebispo defende cultivo da solidariedade social

Dom Filomeno Vieira Dias, Arcebispo de Luanda (Foto: António Escrivão)

O arcebispo de Luanda, dom Filomeno Vieira Dias, defendeu nesta terça-feira o cultivo da solidariedade social nas relações humanas, a promoção e o respeito da dignidade humana e o combate a exclusão.

Para o prelado, “devemos unir esforços para ajudar quem mais precisa, contribuir para que os outros também tenham uma vida em abundância, mais digna e para a harmonia social”.

Dom Filomeno apresentava a sua intervenção de sapiência na cerimónia de lançamento da Bolsa de Solidariedade Social, em acto orientado pelo vice-presidente da República, Manuel Domingos Vicente.

Para o padre, “não é por acaso que se procura se definir o homem, não apenas pela racionalidade, mas pela responsabilidade social, promoção da boa vizinhança, beneficência e afabilidade”.

Espera que os cidadãos mais beneficiados pela sorte ajudem os que mais sofrem, lamentando o facto de muitos ricos não terem nenhuma contribuição social, quando outros o fazem sob anonimato, por intermédio de diversas religiões ou doam as suas fortunas jogando papel relevante para as suas comunidades.

Falou de reformulação da teoria de benemerência com base numa vida honesta sem ostentação, encaminhando o rendimento excedentários em benefícios das comunidades, fazendo pelos outros o melhor.

Reponta ainda outra teoria que defende a distribuição da caridade aos que podem ajudar, subir na vida, assistindo, mas sem fazer de tudo, ao mesmo tempo que contesta a tese da “irracionalidade dos pobres”.

Criticou, modo geral, os Estados, por conceberem políticas e programas sem consulta aos cidadãos, apesar de gerir e distribuir os rendimentos dos cidadãos.

Para Dom Filomeno Vieira Lopes, a solidariedade significa muito mais que alguns actos esporádicos e criar um uma nova mentalidade que pense em termos de comunidade, que priorize a vida.

Declarou que a solidariedade não pode conviver com a mentalidade de só receber, a passividade, é preciso que a pessoa ajuda sai da sua condição e também esteja em condições de auxiliar outras a melhorar a sua situação social. (ANGOP)

DEIXE UMA RESPOSTA