Angola revalida título individual

Velejadores angolanos (DR)

O velejador angolano, Graciano Novais, conquistou na última quarta feira, em Alexandria, Egipto, a medalha de ouro em individual, no Campeonato Africano de Vela da classe masculina, após terminar no primeiro lugar na classificação final com 24 pontos.Graciano Novais desde a primeira regata do africano em Alexandria esteve sempre entre os quatro primeiros da prova, procurando manter o equilíbrio, a fim de não se deixar abater pelos seus adversários nem mesmo pelos seus colegas de equipa.

Com 24 pontos, Graciano Novais garantiu a revalidação do título individual africano, contra 33 pontos do seu compatriota, Osvaldo da Gama que ostentava o titulo africano de 2016, conquistado na Baia da Ilha do Cabo em Luanda, sagrou-se vice- campeão de 2017.Na terceira posição ficou o anfitrião, Mahmoud El Tanboly, com 41 pontos, na quarta posição ficou o velejador dos Emirados Árabes Unidos, que somou 73 pontos.

Na quinta posição Angola voltou a levantar a bandeira vermelha preta e amarela por intermédio do velejador, Emílio Chissingui, em quinto o egípcio ABD Khaled conseguiu 86 pontos e em sétimo lugar o angolano, Osvaldo Carlos com 93 pontos.Nesta competição, os pupilos de Moisés Camota entraram bem e conseguiram levar vantagem em todas as regatas decididos a defender a coroa. Angola não deu oportunidades aos seus adversários tanto que na classificação final, colocou os seus quatro atletas entre os sete primeiros lugares da classificação geral.

Com a conquista do bicampeonato, Angola consumou as suspeitas de principal \”monstro\” das águas marítimas de África. Antes do evento de Alexandria, já era vista como uma \”ameaça\” no continente por ter bons registos nas competições internacionais, desde a conquista da medalha de bronze na África do Sul.

Na edição passada, disputada em Luanda, Angola ocupou quatro lugares dos cinco primeiros da tabela geral de classificação por equipa. Osvaldo da Gama liderou a lista, seguido do sul-africano Matt Ashwell, Lourenço Simão, João Luacuti e Decaprio Fernandes.

NO SECTOR FEMENINO
Na classe feminina a única representante nacional não teve a mesma sorte que os seus colegas de equipa. Aline Lourenço quedou-se na nona posição, com 254 pontos, ao passo que na geral ocupou a 31ª posição. Nesta classe as anfitriãs, Shahd El Shref e Raine Ibrahim conquistaram as medalhas de ouro e prata, enquanto que argelina Boussouar Amani ficou com a medalha de bronze.

A campeã africana de 2016, Denise Parruque de nacionalidade moçambicana terminou na quarta posição.Recorda-se que na edição passada a angolana Aline Lourenço, conquistou a medalha de bronze, a medalha de para foi conquistada pela sul-africana Chiara Fruet, já a moçambicana, Denise Parruque conquistou a medalha de ouro.

O Campeonato Africano de vela da classe Optimist é disputado desde o dia 29 de Junho e terminou dia 5 do corrente em Alexandria. Participam do evento desportivo, Angola (129 pontos), Egipto-1 (178), Emirados Árabes Unidos (258), Argélia (286), Egipto-2 (461), África do Sul (565), Tunísia (567), Egipto-3 (666) e Marrocos (741). (Jornal dos Desportos)

DEIXE UMA RESPOSTA