Zâmbia suspende 48 parlamentares por boicotar discurso do presidente

(DR)

O presidente da Assembleia Nacional da Zâmbia, Patrick Matibini, suspendeu nesta terça-feira 48 membros do Parlamento, todos do Partido Unido para o Desenvolvimento Nacional (UPND), da oposição, por ter boicotado um discurso do presidente Edgar Lungu em Março.

Os deputados foram vetados por 30 dias, a contar de ontem. Neste período eles não receberão salário, não participarão das reuniões das suas respectivas comissões parlamentares e não poderão ir ao Parlamento, informa a imprensa local.

O presidente da Câmara criticou a actitude “grosseira” dos deputados durante o discurso presidencial e disse que os parlamentares não podem deixar de reconhecer o presidente, já que juraram lealdade.

“Desafio os membros do UPND que não reconhecem a legitimidade do presidente, a renunciar por razões morais”, defendeu Matibini.

O UPND confirmou a notícia através da sua conta no Twitter e alegou “fundamentos pouco sólidos”.

Desde 11 de Abril que o líder da UPND, Hakainde Hichilema, está preso e acusado de traição ao Estado por ter obstruído a passagem da caravana do presidente da Zâmbia.

Em Outubro do ano passado, Hichilema também foi detido com o vice-presidente do partido, Geoffrey Mwamba, acusado de perturbação da ordem pública e reunião ilegal.

Nas eleições realizadas em Agosto do ano passado, Edgar Lungu foi reeleito no primeiro turno das eleições com 50,3% dos votos, frente aos 47,6% de Hichilema. Hichilema e os outros sete candidatos – entre os quais dividiu-se a percentagem restante dos votos.

O resultado das eleições motivou protestos que começaram no sul do país e estenderam-se à capital da província de Western, Mongu, Mais de 100 pessoas foram detidas. (Terra)

DEIXE UMA RESPOSTA