Repatriados 187 cidadãos da RDC por irregularidades migratórias

Polícia de Guarda Fronteira detém mais de cem emigrantes ilegais no Zaire (Angop/Arrq.)

Cento e oitenta e sete cidadãos da República Democrática do Congo (RDC) foram repatriados para o seu país de origem, no período de 06 a 13 deste mês, pelo Serviço de Migração e Estrangeiros (SME), por entrada e permanência ilegal no território nacional.

Em declarações à imprensa, o porta-voz daquele órgão, superintendente de migração Domingos Sebastião, disse que verificou-se um aumento de 130 estrangeiros expulsos face à semana anterior.

A fonte precisou que o repatriamento foi processado através dos postos fronteiriços do Kimbumba (Soyo), Luvo (Mbanza Congo), Nóqui e Minga, no município do Cuimba.

No período em análise, 206 cidadãos de várias nacionalidades, dos quais 93 do sexo feminino foram interpelados e detidos por irregularidades migratórias.

Na semana em referência, disse a fonte, houve um aumento de 190 estrangeiros detidos em relação ao igual período anterior, dos quais 202 da RDC, um francês, para além de três cidadãos nacionais acusados de promoção e auxílio à migração ilegal na região.

Informou, por outro lado, que por falta de documentos válidos, o SME recusou a entrada de quatro cidadãos da RDC no território nacional.

O SME na província do Zaire repatria semanalmente vários cidadãos de diversas nacionalidades, que de forma ilegal entram ou permanecem na região, muitos dos quais oriundos da RDC, país com quem partilha uma fronteira de 330 quilómetros. (ANGOP)

DEIXE UMA RESPOSTA