Redução do desemprego passa pelo empreendedorismo, diz porta-voz da FNLA

Secretário para informação e mobilização da FNLA, Geovety de Sousa (Foto: Pedro Parente)

A redução da taxa de desemprego passa, essencialmente, pela aposta na criação de mais centros de formação profissional capazes de impulsionar o empreendedorismo, considerou hoje (segunda-feira), em Luanda, o porta-voz da FNLA, Geovety de Sousa.

O responsável, que falava sobre o Programa de Governação do seu partido concorrente às eleições de 23 de Agosto próximo, afirmou que a par da formação superior, a formação técnico profissional é, seguramente, o caminho certo para diminuir a taxa de desemprego.

Nessa conformidade, prosseguiu, a aposta deve ser direccionada à capacitação dos cidadãos nas áreas das artes e ofícios para habilitá-los com conhecimentos úteis à criação de pequenas empresas, que podem empregar outras pessoas.

No capítulo do fomento habitacional, o porta-voz fez saber que o desafio pode ser vencido com concurso ao financiamento externo e criação de outras fontes internas de arrecadação de receitas – taxas tributárias e impostos – para a construção de mais habitações.

Quanto à criação de zonas académicas, a FNLA é da opinião de que a instalação das mesmas deveria obedecer a especificidade dos recursos disponíveis em cada região, para proporcionar uma mais-valia aos formandos.

Exemplificou o caso do Instituo de Formação de Petróleos que está localizado no Sumbe (Cuanza Sul), mas que, na opinião da FNLA, deveria agregar valor se fosse construído no Soyo (na província do Zaire), facilitando o enquadramento dos recém-formados.

Sugeriu igualmente a criação de uma escola de geologia e minas na província da Huíla, onde existem jazidas e muitos outros recursos importantes para o desenvolvimento económico do país.

“Queremos igualmente apostar na formação de docentes especializados na área de investigação aplicada (conhecimentos gerais) e especialistas na área da docência, associando as valências internas e externas”, frisou.

No sector da saúde, o responsável fez saber que a FNLA aposta na prestação de serviço a baixo custo, no apetrechamento das unidades hospitalares, bem como na capacitação dos técnicos com conhecimentos modernos para dar respostas às actuais exigências do país. (ANGOP)

DEIXE UMA RESPOSTA