Procuradores processam Trump por receber milhões de governos estrangeiros

O presidente americano, Donald Trump, na Casa Branca, em Washington D.C., no dia 31 de Janeiro de 2017 (Afp)

Procuradores-gerais de Washington DC e Maryland alegam que o presidente obteve milhões em benefícios de governos estrangeiros por não ter abdicado da propriedade da sua empresa

Os procuradores-gerais de Washington DC e de Maryland vão hoje processar o Presidente dos Estados Unidos, alegando que violou cláusulas anticorrupção da Constituição ao aceitar milhões de dólares de governos estrangeiros pagos às suas empresas, avança o Washington Post.

Os dois procuradores-gerais, ambos democratas, baseiam o seu processo nos “milhões em pagamentos e benefícios de governos estrangeiros” recebidos por Trump desde que se mudou para a Casa Branca, e tendo em conta que optou por “manter a propriedade na sua empresa” após assumir o cargo.

Trump transferiu o controlo do seu conglomerado empresarial para os seus filhos Donald Jr. e Eric, de modo a evitar possíveis conflitos de interesse durante o tempo que ocupar a presidência.

No entanto, o procurador-geral de Washington DC, Karl A. Racine, e o procurador-geral de Maryland, Brian Frosh, consideram que Trump “quebrou muitas promessas de manter as suas responsabilidades públicas separadas dos seus interesses empresariais privados”, incluindo ao receber actualizações regulares sobre a saúde financeira da empresa.

Se um juiz federal permitir que o caso avance, segundo explicaram os procuradores de Washington e Maryland ao jornal, um dos primeiros passos seria pedir cópias das declarações fiscais de Trump — que ele recusou tornar públicas até agora — de modo a saber até onde chegam os seus negócios no estrangeiros.

Esta batalha, dizem, deverá terminar, provavelmente, no Supremo Tribunal, com os advogados de Trump obrigados a defender que as declarações de impostos do Presidente se mantenham privadas. (Diário de Notícias)

por Lusa

DEIXE UMA RESPOSTA