Países Africanos melhoram disponibilidade e segurança de sangue

DAR SANGUE É SALVAR VIDAS (Foto: Júlio Vilinga)

Vários países da Região Africana melhoraram a disponibilidade e segurança de sangue, de acordo com as resoluções da Assembleia Mundial da Saúde e do Comité Regional sobre segurança do sangue.

A informação consta no relatório de 2016 sobre a situação da segurança do sangue e sua disponibilidade na Região Africana da OMS, citado pela Directora Regional da OMS para a África, Matshidiso Moeti, na sua mensagem em alusão ao 14 de Abril, Dia Mundial do Dador de Sangue.

Segundo a Directora Regional, a recolha de sangue a partir de doadores voluntários, benévolos e regulares tem sido mais segura, mais eficaz e mais eficiente do que as doações de substituição provenientes do núcleo familiar.

A quantidade de doações de sangue na Região subiu entre 2013 e 2016, passando de 3,9 milhões de unidades para 4,5 milhões de unidades, volume esse que apenas preenche cerca de 50 por cento das necessidades anuais de sangue e produtos lábeis do sangue.

Apesar do progresso registado, persistem lacunas importantes em certos países e sub-regiões, incluindo quanto à taxa de execução das políticas, à coordenação dos serviços do sangue e à legislação.

A Região ainda está aquém para cobrir as suas necessidades em sangue e a percentagem de unidades de sangue colhidas através de doadores do núcleo familiar mantém-se alta.

Cinco países continuam a não proceder ao rastreio de todas as unidades de sangue em relação às principais infecções transmitidas pela transfusão, como acontece com a hepatite C e a sífilis, por falta de reagentes essenciais e de materiais de uso médico para a segurança do sangue, mas, também, devido à falta de sistemas de gestão de qualidade em diversos serviços de sangue na Região.

“Uma vez que comemoramos o Dia Mundial do Dador de Sangue, exorto os países assim como todas as partes interessadas envolvidas nas doações de sangue a apoiar e a reforçar a promoção desta causa em prol da doação voluntária e benévola para se manter um aprovisionamento adequado de sangue seguro”, exortou.

Assim, os serviços nacionais de transfusão de sangue poderão responder atempadamente à procura crescente de sangue, especialmente durante as emergências.

A Directora Regional agradece a todos os dadores voluntários de sangue e encoraja-os a continuar esta dádiva tão valiosa para garantir existências suficientes de sangue antes da ocorrência de emergências.

Igualmente, congratula-se e exprime o seu apoio às associações de doadores de sangue e demais organizações não-governamentais, bem como a todos aqueles que trabalham para fazer com que haja sangue seguro nos estabelecimentos de saúde.

Garante que o Escritório Regional para a África continuará a apoiar todas as iniciativas apropriadas destinadas a garantir sangue seguro para salvar vidas e produtos hábeis do sangue a qualquer pessoa, em particular àqueles que se encontram em situações de emergência. (ANGOP)

DEIXE UMA RESPOSTA