Julgamento de activistas do Movimento do Protectorado da Lunda Tchokwe adiado por dificuldades logísticas

(Bandeira do Movimento do Protectorado da Lunda Tchokwe. DR)

Presos a 4 de Janeiro e acusados de queimar uma esquadra e tentativa de assassinato de um polícia, o julgamento de cinco membros do Movimento do Protectorado da Lunda Tchokwe, inicialmente marcado para o dia 8 de Junho, foi adiado para 5 de Julho devido a alegadas dificuldades de deslocação dos declarantes da região diamantífera de Cafunfo para a cidade do Dundo, capital da Lunda Norte, disse à VOA o advogado dos acusados, Sebastião Assurreira.

Os cinco activistas da Lunda Norte são acusados de tentativa de assassinato de um elemento da polícia.

Eles foram detidos depois de terem participado numa “tentativa de manifestação”, no dia 4 de Janeiro, que visava exigir os seus direitos.

Rui Lucas, André Zende, Zeca Samuimba, Acoríntio Cajiji e Cazenga Manuel são ainda processados por terem destruído e queimado uma esquadra policial.

Sebastião Assurreira, ligado à associação de defesa de direitos humanos Mãos Livres, diz que tais acusações “foram fabricadas”. (Voa)

DEIXE UMA RESPOSTA