Governador de Luanda em Macau em missão da UCCLA

O Governador de Luanda, Higino Carneiro. (Foto: Pedro Parente)

O governador da província de Luanda, Francisco Higino Carneiro, disse que Angola espera que Macau continue a reforçar as relações e a cooperação com os países de língua oficial portuguesa.

Higino Carneiro que visitou a Região Administrativa Especial da China durante quatro dias na qualidade de Presidente de mesa da Assembleia Geral da União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa, a convite das autoridades macaenses, elogiou Macau e as funções que desempenha como plataforma de serviços de comércio entre a China e os países acima referidos.

O governante angolano manifestou ainda o interesse de que Macau e Angola fortaleçam as imensas oportunidades de cooperação em várias áreas, nomeadamente no comércio, ciência e tecnologia, exposições e convenções e ainda no âmbito cultural.

Num encontro com o Chefe do Executivo de Macau, Fernando Chui Sai, o governante angolano considerou importante que Macau continue a reforçar a sua influência nas ligações entre a China e os países de língua portuguesa e propôs ainda que o território chinês aproveitasse Angola como porta de entrada também para todos os países do continente africano.

Ainda no âmbito bilateral, Higino Carneiro, que se fez acompanhar da consulesa geral de Angola em Macau, Sofia Pegado, prometeu que Angola participará activamente em exposições de comércio organizadas pelo governo da RAEM, dando como exemplo a participação de uma delegação angolana na próxima edição da Feira Internacional de Macau, que irá decorre em finais deste ano.

O governador da província de Luanda aproveitou ainda para manifestar o desejo de que bolseiros angolanos tenham oportunidade de estudar na Região Administrativa Especial de Macau (RAEM), através de bolsas de estudo, no sentido de aumentar o intercâmbio de pessoas e culturas.

O presidente da Mesa da Assembleia-Geral da UCCLA manteve ainda encontros com representantes do Fundo e do Fórum Macau, do Instituto de Promoção do Comércio e de Investimento de Macau (IPIM) e do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM), que é o correspondente as câmaras municipais e prefeituras em relação as demais cidades da UCCLA

Com o Banco da China, entidade que abriu a sua sucursal recentemente em Luanda, foi reafirmado o interesse daquela instituição bancária chinesa de aprofundar as relações com as Cidades Capitais de Língua Portuguesa.

A UCCLA é uma associação inter-municipal de natureza internacional, fundada a 28 de Junho de 1985 com as cidades de Bissau, Lisboa, Luanda, Macau, Maputo, Praia, Rio de Janeiro e São Tome/Água Grande.

A União conta actualmente com 43 cidades efectivas, associadas e observadores espalhados pelos quatro continentes. (ANGOP)

DEIXE UMA RESPOSTA