FNLA apresenta hoje manifesto e o programa

Lucas Ngonda divulga em Luanda as propostas e linhas de força da sua candidatura (Foto: Santos Pedro| Edições Novembro)

A FNLA apresenta hoje, numa das unidades hoteleiras de Luanda, o seu manifesto eleitoral e respectivo programa de governo, a ser materializado caso vença as eleições gerais de 23 de Agosto.

Em linhas gerais, o programa de governo da FNLA prevê a reforma do Estado, com destaque para o Parlamento, onde o partido liderado por Lucas Ngonda defende a criação de duas câmaras, uma alta e outra baixa, avançou ontem, ao Jornal de Angola, o secretário para a informação e propaganda.

Joveth de Sousa disse ainda que o seu partido defende outras reformas, quer do ponto de vista político, quer económico, cultural e desportivo. “Notamos que, do ponto de vista desportivo, o país não anda muito bem, por isso defendemos uma-reforma- nesta área”, exemplificou.

O porta-voz da FNLA referiu que os detalhes do programa de governo do partido são dados amanhã pelo candidato a Presidente da República, Lucas Ngonda, durante a apresentação do documento, no Hotel Epic Sana, na parte baixa da cidade de Luanda.

A FNLA, que na legislatura que termina ocupa dois dos 220 assentos da Assembleia Nacional, tem como candidato a Presidente da República o seu líder, Lucas Ngonda, enquanto o aspirante ao cargo de Vice-Presidente da República é o secretário-geral, Pedro Mucumbe Dala.

O sorteio para o posicionamento no boletim de voto colocou o partido no número cinco, abaixo da UNITA, APN, PRS e MPLA e acima da CASA-CE, que ocupa o número seis.

Para o exercício da campanha eleitoral nos meios de difusão massiva, a distribuição do tempo de antena na radiodifusão definiu que o partido fundado por Holden Roberto é último da grelha, no período entre 15h50 às 16 horas. Na televisão, é o terceiro, entre 20h10 e às 20h15. A campanha eleitoral deve arrancar no dia 21 do próximo mês.

A FNLA conta com os antigos combatentes e jovens na distribuição dos delegados de mesas para as eleições gerais de 23 de Agosto, de acordo com o seu secretário nacional dos Antigos Combatentes. Ao referir-se à condição de vida dos antigos combatentes da FNLA, Felisberto Kiangala disse que nenhum deles está inscrito na Caixa Social das Forças Armadas. (Jornal de Angola)

DEIXE UMA RESPOSTA