Benguela: População exortada a entregar armas de fogo

Arquivo: armas de fogo (Foto: Edilson Manuel Domingos)

A população do município do Bocoio, 102 quilómetros a nordeste da cidade de Benguela, foi exortada sábado, a entregar voluntariamente as armas de fogos as autoridades competentes, para não ser responsabilizada criminalmente.

Falando na palestra organizada pela ONG Angola 2000, sob lema “Colabore no desarmamento da população civil”, o segundo comandante municipal da Policia Nacional, Samuel Cornélio Paulo, disse que todo aquele que tiver uma arma em casa deve entregar a esquadra mais próxima, visto que a polícia está para servir a população.

“Quem ver em casa de um amigo, pai, ou mesmo um familiar uma arma de fogo dever ir ao comando Municipal, denunciar para que a polícia tome as medidas”, apelou.

Sublinhou que desde Janeiro do ano em curso até ao presente momento foram entregue voluntariamente seis armas de fogo, cujo processo ainda encontra-se na fase de entrega voluntária, para a posterior seguir a fase coerciva.

O segundo comandante deu a conhecer que, só deve fazer o uso de uma arma de fogo em exercício de trabalho os efectivos dos órgãos de defesa e segurança.

Exortou por outro lado, as crianças a cima de tudo nas zonas rurais a não brincarem com objectos estranhos, porque pode eventualmente tratar-se de um engenho explosivo e no caso, elas devem comunicar os mais velhos ou alertarem as autoridades da polícia nacional.

Por sua parte, o oficial do projecto da associação Angola 2000, Pinto Manuel, referiu que o projecto com slogan “ombembwa II” , tem como objectivo promover a paz entre as comunidades que constitui os principais objectivos da ONG, na vertente na violência doméstica, resolução de conflitos, direitos humanos e o desarmamento da população.

Considerou a palestra pertinente e oportuna, para que a população trabalhe em prol da tranquilidade, segurança e manutenção da paz em Angola.

Incentivou aos presentes a transmitirem mensagens a outras localidades, para contribuírem de forma significativa no desarmamento das populações, pelo facto das armas de fogos constituírem um perigo.

Para o coordenador da ONG Angola 2000, Eugénio Isaac, a missão de desarmar mentalmente visa sensibilizar aos jovens para que não tenham ideias maléficas. (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA