Benguela: Italianos em reunião com produtores de sal da Baía Farta

Chamume - "Cidade do Sal" (Foto: Carlos Morony)

Empresários italianos do sector das pescas e salinas reuniram-se hoje com os seus homólogos angolanos na Baia Farta, em Benguela, num encontro para troca de experiências e contactos para futuras parcerias.

Ao falar à Angop, acerca da presença de empresários italianos na Baia Farta, onde visitaram várias áreas (Calombolo e Camume) de produção de sal, o presidente do segundo maior produtor de sal na europa, o italiano Giacomo d’Ali Staiti, mostrou-se encantado com as potencialidades da produção de sal no município daBaía Farta.

O responsável considerou que a província de Benguela, através da Baía Farta, pode tornar-se maior no produtor de sal no continente africano, devido às suas condições climáticas.

Por seu lado, a adida para a promoção de intercâmbio da embaixada de Itália em Angola, que chefia a delegação composta por sete empresários, Milena Del Grosso, disse que os empresários italianos trazem “Know how” para produção de sal, pescas e tecnologia naval.

Por sua vez, o empresário angolano, Jorge Ferreira, ligado a área de capturas e congelação de peixe, considerou o encontro frutífero.

Manuel Rodrigues, outro empresário ligado a produção de sal, disse que o encontro permitiu a troca de experiências que vai proporcionar o aumento da produção de sal na Baía Farta.

A Angop apurou que os italianos em um hectar produzem quatro mil toneladas de sal ao contrário de Baía Farta que produz um terço desta quantidade.

Segundo o director das Pescas, Jorge Gomes, a produção de sal em 2016 cifrou se em 70 mil toneladas contra as 32 mil toneladas de 2015.

A perpectiva é produzir 200 mil toneladas de sal até 2020.

Os empresários italianos que se encontram desde a tarde de terça-feira em Benguela regressam ainda hoje a Luanda. (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA