Atentado do al Shabab faz 18 vítimas mortais na Somália

Ataque suicida num hotel da Somália reivindicado pelo Al-Shabab. (Foto: Euronews)

Pelo menos 18 pessoas morreram no ataque levado a cabo por homens armados num popular restaurante na capital da Somália, informaram as autoridades.

O ataque começou com a explosão de um carro na entrada do estabelecimento, na quarta-feira à noite, e o grupo extremista Al-Shabab já reivindicou a autoria.

As forças de segurança da Somália neutralizram o ataque de um grupo de homens armados a um restaurante em Mogadíscio.

Os sobreviventes, que desde quarta-feira à noite estavam reféns dentro do restaurante Pizza House, foram retirados do edifício por soldados, e os feridos transportados em ambulâncias.

Dois dos homens armados foram abatidos a tiro e dez reféns foram resgatados, mas outros cinco atacantes continuam no interior do restaurante, tendo cortado a electricidade para dificultar o trabalho das forças de segurança, explicou o capitão da polícia Mohamed Hussein.

Khalif Dahir, condutor de uma ambulância, disse hoje que transportaram 18 corpos e 26 feridos. Entre os mortos está um homem sírio, indicou a polícia. A maior parte das vítimas são homens jovens, que estavam a entrar no Pizza House quando o veículo explodiu, segundo Hussein.

Os atacantes do restaurante “estavam vestidos com uniformes militares e forçaram as pessoas que estavam a fugir a irem para dentro” das instalações do estabelecimento, afirmou uma testemunha, Nur Yasin, à Associated Press.

A explosão destruiu a fachada do edifício e provocou um incêndio. Apesar de o Al-Shabab ter garantido que atacou o restaurante Posh Treats, que é frequentado pela elite da cidade e foi atingido pela explosão, a polícia assegurou que o estabelecimento visado foi o Pizza House.

O grupo extremista Al-Shabab ataca com frequência áreas privilegiadas de Mogadíscio, como hotéis, pontos de controlo militares e próximos do palácio presidencial. Depois de o recém-eleito governo somali ter lançado uma nova ofensiva militar contra si, o grupo prometeu realizar mais ataques.

No último ano, o Al-Shabab foi o grupo islamita mais mortífero em África, com mais de 4.200 pessoas assassinadas, segundo o levantamento realizado pelo Centro de Estudos Estratégicos de África (ACSS, na sigla em inglês). (Jornal Notícias)

DEIXE UMA RESPOSTA