Administração da TAP? “Passos não tem razão, não há conflito”

LUIS MARQUES MENDES Analista político (Foto: D.R.)

Marques Mendes comentou esta noite de domingo, na SIC, os primeiros nomes avançados para o Conselho de Administração da TAP.

Foi avançado esta semana que Miguel Frasquilho vai ser o novo presidente do Conselho de Administração da TAP, falando-se ainda no nome do advogado Lacerda Machado e da líder da Fundação Serralves, Ana Pinho, para vogais, conforme indicou o jornal Expresso.

Marques Mendes avançou, este domingo, com os restantes três nomes para o Conselho de Administração: o antigo secretário de Estado do Turismo Bernardo Trindade, a gestora Esmeralda Dourado e o antigo presidente da SATA António Menezes. São, portanto, “seis pessoas em representação do Estado” na aérea portuguesa, uma equipa que descreve como “relativamente equilibrada”.

O líder do PSD, Passos Coelho, fez considerações um pouco distintas, afirmando que se o Governo mantiver o advogado Lacerda Machado na administração da TAP essa será “uma decisão errada” e “uma nódoa que vai ficar naquela administração”.

“A crítica que Passos Coelho faz, que há um conflito de interesses, acho que aí Passos Coelho não tem razão. Se Diogo Lacerda Machado tivesse negociado em nome do Estado a reversão da privatização e agora fosse designado pelos privados, aí sim é que havia um conflito de interesses”, indicou Marques Mendes.

Diogo Lacerda Machado, amigo do primeiro-ministro, António Costa, integrou as negociações com os acionistas privados para que o Estado voltasse a ter maioria do capital da TAP. (Noticias ao Minuto)

DEIXE UMA RESPOSTA