Venezuela: Maduro ordena envio de tropas para Tachira

O presidente venezuelano, Nicolas Maduro, saúda simpatizantes antes do início de uma parada militar em 1º de fevereiro de 2017, em Caracas (Afp)

Tachira está em estado de sítio. Estabelecimentos comerciais vandalizados, prateleiras esvaziadas, espaços públicos incendiados. Confrontos entre manifestantes e polícia. A situação levou o Presidente venezuelano a ordenar o envio de 2600 militares para este estado. Nas últimas horas foram assassinados mais dois manifestantes que se opõem à governação de Nicolas Maduro.

A decisão de reforçar as forças militares, em Tachira, acontece um dia depois de ter sido publicado um novo decreto que permite ao Executivo adoptar medidas de “excepção” para garantir a ordem interna, inclusive restringir os direitos constitucionais.

O executivo venezuelano responsabiliza a oposição pelos mais de 40 assassinatos ocorridos desde 1 de Abril, no país, garantindo que a Guarda Nacional Bolivariana não usa “armas de fogo letais” para reprimir os manifestantes. Está também proibido, dizem as autoridades, e por ordens do chefe de Estado, o uso de balas de borracha. Já os opositores de Maduro negam responsabilidades e lançam acusações ao governo de Caracas. (Euronews)

DEIXE UMA RESPOSTA