Rossi deixa mensagem de apoio a Hayden, que segue em estado grave

Valentino Rossi já competiu por título com Hayden e tornou-se amigo do ex-piloto – (Foto: MotoGP)

Na última quarta-feira, o ex-piloto da MotoGP Nicky Hayden, campeão mundial da categoria em 2006, sofreu um grave acidente ao ser atropelado por um carro, enquanto andava de bicicleta na Itália. Enquanto o norte-americano segue hospitalizado, o italiano Valentino Rossi manifestou-se para apoiar publicamente o antigo concorrente nas pistas, mas acima de tudo, amigo pessoal.

Rossi, que já venceu a categoria nove vezes, foi adversário de Hayden pelo campeonato de 2006. Nesta quinta, publicou através do site oficial da MotoGP para falar de suas memórias ao lado do oponente.

Quem também se pronunciou sobre o ex-piloto foi o hospital responsável por sua internamento, comunicando que seu estado não se alterou em relação a quarta-feira, e sua situação segue delicada: “Não houveram mudanças substanciais do que foi informado na tarde de ontem. Nicky Hayden segue hospitalizado na UTI e seu cenário clínico permanece extremamente sério”.

Confira, na íntegra, a mensagem de Valentino Rossi:

“Nicky é um dos melhores amigos que eu já tive no paddock. Nós éramos companheiros de time em seu ano de estreia, em 2003, quando ele era um jovem rapaz fazendo sua estreia na primeira experiência na Europa. Aquela temporada terminou com o título mundial para mim e a primeira visita dele ao pódio, em Phillip Island. Depois de alguns anos, nós lutamos pelo título até a última corrida e, infelizmente para mim, ele venceu e se tornou campeão mundial de MotoGP. Depois da corrida, nos cumprimentamos e nos abraçamos. Depois, fomos companheiros de time de novo durante anos difíceis na Ducati, quando as vezes lutávamos até nosso limite para talvez pegar o último lugar do top 5. Nicky frequentemente vinha para o rancho, onde era espectacular assisti-lo e tentar roubar alguns de seus segredos enquanto estávamos competindo, pois ele é um dos corredores em pista de terra mais rápidos do mundo, e antes de ir para as de asfalto, ele venceu algumas das maiores provas americanas desse tilo, como a Peoria TT.

Mas a melhor memória que eu tenho dele foi quando ele veio apertar minha mão após a infeliz corrida em Valência em 2015, na volta de honra. Para ele, era o adeus da MotoGP, e eu havia acabado de perder o título mundial. Seu olhar de apoio de dentro de seu capacete é uma das várias memórias positivas que eu tenho daquele dia. Força, Nicky. Estamos todos com você”. (Gazeta Esportiva)

DEIXE UMA RESPOSTA