Ministro Chicoti defende soluções para acabar com conflito tribal na RDC

Georges Rebelo Chikoti, Ministro das Relações Exteriores (Foto: Francisco Miúdo)

O ministro das Relações Exteriores, Georges Rebelo Chicoti, defendeu na sexta-feira, na cidade do Dundo, a necessidade de se encontrar soluções que venham atenuar o conflito étnico e tribal nas províncias do Kassai e Kassai Central na República Democrática do Congo (RDC).

Georges Rebelo falava no encontro que manteve com o seu homólogo da RDC, Leonard She Okitundu, com o governo da província da Lunda Norte e os órgãos dos sistemas das Nações Unidas, no qual, as partes falaram do conflito e sobre a situação dos refugiados da RDC em Angola.

Para o ministro angolano, os recursos que o país pode mobilizar são poucos e, neste momento, Angola conta com ajuda do sistema das Nações Unidas para assistir os refugiados.

Acrescentou que Angola está a trabalhar com a comunidade internacional do sistema das Nações das Unidas para maior mobilização de apoios, tendo em conta o número elevado de refugiados que chega à Lunda Norte, diariamente.

Por isso, solicitou o engajamento de todos, de modo a que se juntem aos esforços do governo angolano no sentido de criar as condições necessárias para a sobrevivência dos cidadãos refugiados.

“É necessário que a dimensão do conflito na República Democrática do Congo se atenue, para que o fluxo de refugiados possa se reduzir e, ao mesmo tempo, possamos, em conjunto, mobilizar uma campanha maior de ajuda humanitária,” realçou.

Os ministros das Relações Exteriores de Angola e da RDC visitaram o centro provisório de acolhimento de refugiados da Cacanda e os feridos internados no hospital da nova centralidade do Dundo.

A Lunda Norte partilha 770 quilómetros de fronteira com a RDC e, de 17 de Março até 18 de Maio, entraram na província, 24 mil 434 refugiados, dos quais 9 mil 946 são crianças, 15 mil receberam cartões de assistência.

Mussungue e Cacanda são localidades que acolhem provisoriamente os refugiados do Congo que serão transferidos para um centro que está ser preparado com as melhores condições no município do Lôvua. (ANGOP)

DEIXE UMA RESPOSTA