Reino Unido: May lança manifesto e promete reduzir imigração

Primeira-ministra britânica, Theresa May, durante lançamento de manifesto (Reuters)

Programa da primeira-ministra britânica para eleição antecipada prevê restrições para imigrantes e firmeza nas negociações em Bruxelas sobre a saída do Reino Unido da União Europeia.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, lançou nesta quinta-feira (18/05) em Halifax, norte de Inglaterra, o programa do Partido Conservador para as eleições antecipadas do próximo dia 8 de Junho. A primeira-ministra prometeu um “futuro promissor” e também dureza tanto nas negociações pelo Brexit quanto com imigrantes. Entre as propostas apresentadas estão a redução da imigração e o aumento de taxas de saúde e encargos trabalhistas para estrangeiros de fora da UE.

O manifesto, intitulado “Forward Together” (para a frente, juntos) visa, segundo May, fazer do Reino Unido um país “mais forte, mais justo e mais próspero”. May disse que o Reino Unido enfrenta “desafios gigantes” enquanto se prepara para sair da União Europeia, que são as divisões sociais, o reequilíbrio económico, o envelhecimento da sociedade e as rápidas mudanças tecnológicas.

O texto reitera a promessa de manter o compromisso de longo prazo dos conservadores de reduzir a imigração líquida anual do país para abaixo dos 100 mil – promessa que o partido havia feito e não cumpriu desde 2010. A taxa mais recente de imigração líquida – diferença entre imigração e emigração – do Reino Unido é de 273 mil pessoas.

Além disso, o programa promete aumentar para o dobro a taxa anual paga por empresas que empregam pessoal qualificado de países de fora da UE. A chamada “immigration skills charge” vigora no país desde Abril e custa o equivalente a 1.166 euros anuais. Estrangeiros de fora de União Europeia deverão, ainda segundo o manifesto, pagar mais por serviços de saúde pública.

“Uma imigração muito rápida e muito alta torna difícil construir uma sociedade que se mantenha unida”, disse May. No Reino Unido, vivem cerca de 3,2 milhões de estrangeiros da UE, a maioria deles são polacos.

Mais força para negociar

May afirmou que os próximos cinco anos serão “o maior desafio para o Reino Unido das últimas seis décadas”. O principal adversário dela, o líder do Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, acusa o orçamento da primeira-ministra de conter uma brecha de 58 biliões de libras esterlinas.

Com a eleição antecipada, May pretende obter mais força política para liderar as negociações de saída do Reino Unido da União Europeia. Nas últimas pesquisas, os conservadores se encontram com ampla vantagem sobre seus principais opositores do Partido Trabalhista.

O manifesto inclui também promessas de equilibrar o orçamento nacional até 2025, não aumentar o imposto sobre o valor acrescentado, aumentar o salário mínimo para 60% do rendimento médio e aumentar o orçamento do serviço nacional de saúde.

May afirmou que seu manifesto está “enraizado nas esperanças e aspirações dos trabalhadores comuns em todo o país”, prometendo construir “uma grande meritocracia”, que “funcionará não apenas para os poucos privilegiados”. A primeirra-ministra britânica disse que irá “garantir que todos tenham a oportunidade de fazer o melhor de seus talentos e trabalhar duro”. (DW)

MD/dpa/ap/lusa/afp

DEIXE UMA RESPOSTA