Ministro da Juventude visita projecto de Hidroponia

(Arquivo) Ministro da Juventude e Desportos, Albino da Conceição (Angop)

O ministro da Juventude e Desportos, Albino da Conceição, visitou nesta quarta-feira, o primeiro parque agrícola de Hidroponia de Angola, localizado na zona do Kikuxi, município de Viana, em Luanda.

A visita enquadra-se nas comemorações do 14 de Abril (dia da Juventude Angolana) e, visou massificar os jovens para a prática da agricultura, tendo constatado no local os mecanismos utilizados e as possibilidades de negócio que podem ser explorados nesta área.

Em declarações Albino da Conceição considerou que enquanto jovens devem participar do desenvolvimento do país e a área agrícola constitui umas das prioridades de exploração.


Pólo de Hidroponia de Angola (Arquivo)
(Foto: Clemente dos Santos)

“Saio satisfeito desta visita pelo facto deste projecto estar a ser implementado em Angola, pois a primeira vez em que vi um projecto igual foi no Japão. Caso for bem implementado é possível satisfazer as necessidades do mercado em hortaliças”, referiu.

A visita ao parque agrícola de Hidroponia de Angola foi acompanhada pelos jovens representantes do Instituto Angolano da Juventude (IAJ) e do Conselho Nacional da Juventude (CNJ).

Por sua vez, a directora-geral do projecto HIDROBEM, Carla Paulino, esclareceu que através do sistema hidropónico o projecto produz todo tipo de plantas folhosas, tais como alfaces, cebolinhas, coentros, salsas, manjericão, agrião e outras.

Já com o sistema de “sacos gota-a-gota” produz-se o tomate de todos os tipos, beringela, gourjetes, pimento, pepino e fizális.

Fez saber que o sistema utilizado neste projecto permite produzir em qualquer altura do ano, pois não está condicionado ao clima.

O parque agrícola do Kikuxi de Hidroponia de Angola ocupa uma área dois mil metros quadrados de produção dividida em duas estufas, e conta com 13 funcionários nacionais.

Para o presidente do Conselho Nacional da Juventude (CNJ), António Francisco Tingão Mateus, a visita foi positiva uma vez que possibilitou constatar a prática de uma agricultura mais ecológica, com técnicas inovadoras que pode ser de mais-valia para determinadas zonas do país. (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA