Huambo: Mais de metade de clientes da empresa de água em dívida

PCA da empresa de Água, Adolfo Elías (Foto: Júlio Vilinga)

Onze 11 mil clientes da empresa de águas na província do Huambo, de um total de 18 mil e 100, furtam-se de pagar o seu consumo, causando, com isto, sérios embaraços ao funcionamento normal da empresa.

Em declarações quinta-feira à imprensa, o presidente do conselho de administração da empresa, Adolfo Elias, lamentou o facto, afirmando que entre os transtornos resultantes deste não cumprimento do pagamento está a dificuldade de fazer a manutenção da própria rede de distribuição, por exigir recursos financeiros.

Também lamentou o facto de cerca de mil consumidores não legalizarem o serviço, apesar da empresa ter montado os equipamentos em suas residências, no âmbito do programa de alargamento da rede de distribuição.

Dada a situação, Adolfo Elias informou que a empresa de águas, em parceria com o Banco Mundial, está a trabalhar com consultores de Portugal, por forma a implementar um novo modelo de cobrança, que seja eficaz e exacto.

Paralelamente a esta intenção, estão a ser criados, nos bairros, pontos de atendimento para desafogar as enchentes nos balcões da empresa, confirmando a abertura, nos meses passados, de pontos de atendimento nos bairros Cacilhas e Benfica.

“Em termos de receitas estamos muito aquém, pois somente 45 por cento dos nossos clientes pagam regularmente o que consomem. No nosso sistema estão 19 mil ligações, mas destas somente 18.100 estão legalizadas”, disse.

Adolfo Elias realçou que o pagamento regular das taxas de consumo, por parte dos clientes, permite de forma positiva a contínua execução de projectos, que possam elevar a capacidade de captação e distribuição, bem como a arrecadação de mais receitas para os cofres do Estado.

Os clientes da empresa de águas na província do Huambo, de acordo com o seu presidente do conselho de administração, estão divididos em domésticos, comerciais e industriais, sendo que aos primeiros são cobrados 80 kwanzas por um metro cúbico, 100 e 110 para as classes subsequentes, respectivamente.

A empresa de Águas da província do Huambo foi criada em Março de 2015, através do decreto executivo conjunto 8/14, na sequência da extinção da empresa de águas e saneamento.

Tem como missão a gestão e operação do sistema de abastecimento de água potável na província. (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA